Ir direto para menu de acessibilidade.
Início do conteúdo da página

Sepex 2019 movimenta os corredores e auditórios do campus Maracanã

Publicado: Quarta, 30 de Outubro de 2019, 18h01 | Última atualização em Sexta, 01 de Novembro de 2019, 11h54 | Acessos: 414

Entre palestras, workshops, exposições, atividades lúdicas e culturais, a comunidade do Cefet/RJ mostrou, mais uma vez, a alta qualidade da produção científica e artística dos alunos da instituição. Durante os dias 23, 24 e 25 de outubro, a Semana de Ensino, Pesquisa e Extensão (Sepex) 2019 movimentou os corredores e auditórios do campus Maracanã com mais de 100 estandes e mais de 200 trabalhos expostos na Expotec e na Exposup, além dos pôsteres expostos no ciclo multidisciplinar.

Organizada pelas diretorias de Ensino (DIREN), Pesquisa e Pós-graduação (DIPPG) e Extensão (DIREX) do Cefet/RJ, a Sepex 2019 teve como assunto principal o tema “Bioeconomia: diversidade e riqueza para o desenvolvimento sustentável”, que além de nortear o evento como um todo foi o assunto abordado na abertura, com palestra da professora Aline Trigo, chefe da Divisão de Estratégia para Sustentabilidade Ambiental Institucional.

Simultaneamente à Sepex, ocorreu a Jornada Integrada de Pesquisa e Pós-graduação (JIPP) e o evento Expin48, uma imersão de 48 horas que uniu, pela primeira vez, alunos do médio/técnico, da graduação e da pós-graduação na construção de soluções tecnológicas.

Veja um pouco do que rolou na Sepex 2019

Apesar de a abertura oficial ter sido na quarta, dia 23 de outubro, as atividades no campus Maracanã ocorreram durante toda a semana. Foram mais de 70 atividades, entre minicursos, oficinas, saraus e competições.

  

 No primeiro dia da Sepex 2019, o Bandão do Cefet/RJ, sob orientação dos professores Daniela Spielmann, Bruno Repsold e Oliver Bastos, lotou o auditório da Coordenação de Artes ao apresentar o show "Sororidade e Sonoridade", interpretando clássicos da música popular brasileira como a canção "Ai Que Saudades da Amélia", de Ataulfo Alves, e sucessos de artistas contemporâneos, como "Não Precisa Ser Amélia", de Bia Ferreira. Assista ao vídeo da apresentação.

 

 

  Um dos estandes mais movimentados da Expotec foi o do projeto Sexgen Cefet, um projeto de extensão do Cefet/RJ formado por alunos dos cursos de Edificações, Eletrotécnica e Informática que discutiu temas ligados à sexualidade, gênero e diversidade na juventude. O estande abordou a importância de debater o assunto no ambiente escolar, a fim de prevenir sobre infecções sexualmente transmissíveis e outros problemas decorrentes da desinformação.

 

 

Quem passou pelos estandes da Sepex também se maravilhou com a Tabela Periódica tátil e interativa, construída com materiais recicláveis e contendo informações visuais e em braile. A tabela foi construída pelos alunos dos cursos técnicos em Telecomunicações, Edificações e Eletrônica, sob orientação das professoras Suyana Alvarenga, Juliana Brandão e Juliana Mendes, da Coordenação de Química, em comemoração aos 150 anos da tabela periódica.

 

 

No dia 24 de outubro, o estande do Núcleo de Apoio a Pessoas com Necessidades Específicas (NAPNE) recebeu a visita do artista Eduardo Moreira de Melo, que apresentou sua arte com pinturas de boca. O objetivo do estande foi sensibilizar os visitantes a perceberem como a pessoa com deficiência produz arte e cultura, independente das limitações temporárias ou permanentes.

 

 

Na Sepex, também teve espaço para o projeto memória da Associação de Ex-alunos do Cefet/RJ. A exposição deu destaque ao professor Eugenio Trombini Pellerano, o primeiro professor-pesquisador do Cefet/RJ, que construiu o primeiro motor a jato da aviação brasileira, durante a antiga ETN (Escola Técnica Nacional).

 

 

 

⇒ Clique para ver a cobertura fotográfica da Sepex 2019.

 

 

Fim do conteúdo da página