Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Espaço do campus > Cefet/RJ campus Petrópolis produz e doa álcool glicerinado e álcool sanitizante para a rede pública de saúde
Início do conteúdo da página

Cefet/RJ campus Petrópolis produz e doa álcool glicerinado e álcool sanitizante para a rede pública de saúde

Publicado: Segunda, 11 de Maio de 2020, 18h20 | Última atualização em Segunda, 11 de Maio de 2020, 19h22 | Acessos: 341

A atuação de instituições de ensino e pesquisa tem sido fundamental no combate à pandemia do novo coronavírus. No Cefet/RJ campus Petrópolis, a contribuição vem em forma de álcool sanitizante (para higienização de superfícies e objetos) e álcool glicerinado 80% (para higienização das mãos). Nesta segunda-feira, dia 11 de maio, uma equipe formada por quatro professores do campus e coordenada pelo gerente acadêmico, Welerson Kneipp, doou 400 litros de álcool (200l de cada tipo) para a Secretaria Municipal de Saúde.

 Equipe produziu o álcool glicerinado e o álcool sanitizante no Laboratório de Química do campus Petrópolis

“Essa quantidade foi produzida exclusivamente para ser distribuída na rede pública de saúde. Os produtos estão em bombonas institucionais de 20 litros”, explicou Welerson. Além do gerente, participaram da produção os docentes de química Wanderson Amaral, Renata Mariano e Cristiano Moura – responsáveis pela área técnica – e a professora voluntária Jarlene Reis.

O processo de produção está sendo realizado no Laboratório de Química do campus Petrópolis. De acordo com Wanderson Amaral, a produção consiste na diluição dos insumos (água destilada, álcool, água oxigenada e glicerina, no caso do álcool glicerinado) nas proporções corretas e, por questões de segurança, deve ser realizado em locais com estrutura recomendada e por profissionais. Renata Mariano reforçou que a equipe está seguindo todas as recomendações da Anvisa e da OMS: “está tudo dentro dos padrões e das normas técnicas. Estamos sendo super cautelosos justamente para entregar à comunidade médica um produto que a gente tem certeza que está 100%”, destacou.

Para Renata, a atuação da equipe do campus Petrópolis reflete o papel de tantos professores brasileiros, que pensam e repensam dinâmicas de como auxiliar – não só os alunos que estão em casa – mas também a população. “É motivo de orgulho ver a rede federal, ver o Cefet/RJ, que é uma instituição extremamente importante para a cidade, contribuir assim nesse momento de crise”, ressaltou. Cristiano Moura também falou da satisfação em participar da iniciativa e  destacou a função social das instituições de ensino, que – além de prestar um serviço na oferta de cursos de nível médio, de graduação, de extensão e também cursos livres para a população –, prestam outros serviços importantes à sociedade e mostram ainda mais o seu valor.

 “A iniciativa de produção do campus Petrópolis vem em um momento de extrema importância, não apenas pela necessidade de fornecimento de soluções higienizadoras, mas por mostrar que as universidades e os institutos podem trabalhar em prol da sociedade em uma ‘frente’ diferente do que estamos acostumados a ver”, enfatizou Wanderson Amaral. O professor frisou ainda que o momento é de união e de cuidados: “cada cidadão pode contribuir, seja por iniciativas diretas ou na manutenção de serviços essenciais. Devemos lembrar que as pessoas que não estão na linha de frente do combate também podem contribuir de maneira significativa através da manutenção da quarentena e nos cuidados para evitar a propagação do vírus”.

 

Secretaria Municipal de Saúde fez a retirada de 20 bombonas de 20l cada. Na foto, o professor Welerson Kneipp.

 

Parcerias na produção

Para realizar a produção, o Cefet/RJ campus Petrópolis contou com a parceria do Instituto Federal do Rio de Janeiro (IFRJ), que doou o etanol; da Faculdade Arthur Sá Earp Neto (Fase), que doou a glicerina, as bombonas e o peróxido de hidrogênio (água oxigenada); e de farmácias de manipulação da cidade (Officilab, Homeopatia Clara, Farmácia Homeopática Brasileira, Farmácia Viver Bem e Brasil Manipulação), que doaram insumos, como glicerina e dispensers. A equipe também contou com o apoio do Cefet/RJ por meio de outros campi, como Nova Iguaçu e Valença, do professor Maurício Motta, coordenador do grupo de voluntários da instituição no combate à pandemia, e do diretor do campus Petrópolis, Frederico Oliveira.

A equipe do campus Petrópolis busca agora ampliar as parcerias para potencializar a produção do álcool sanitizante, do álcool glicerinado e também do álcool em gel.

 “Estamos na expectativa de adesão de mais parceiros para o projeto, sobretudo para a doação de insumos, especialmente o álcool 96%, bombonas, dispensers e embalagens para acondicionar esse material produzido”, revelou Welerson Kneipp.

 

Fim do conteúdo da página