Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Espaço do campus > Coletivo de professores do campus Petrópolis promove lives e debates no Instagram
Início do conteúdo da página

Coletivo de professores do campus Petrópolis promove lives e debates no Instagram

Publicado: Quarta, 20 de Maio de 2020, 16h53 | Última atualização em Quarta, 20 de Maio de 2020, 17h08 | Acessos: 439

Em tempos de isolamento social e suspensão de atividades acadêmicas, iniciativas de docentes têm possibilitado que o conhecimento e o debate no mundo digital continuem a motivar alunos, professores e a comunidade em geral. É o caso do Coletivo de Professores do Cefet/RJ campus Petrópolis, um grupo independente formado por cerca de 38 docentes, que tem promovido lives semanalmente pelo seu perfil no Instagram (@coletivo_professores_cefetpet). A próxima ação do grupo será na sexta-feira, dia 22 de maio, às 17h, sobre “Pandemias na história”. A discussão será conduzida pelos professores Daniela Frey e Cristiano Moura.

Ao todo, já foram realizadas 11 lives desde o dia 2 de abril, que trataram de temas diversos, como “Fake News e desinformação”, “Ansiedade em tempos de pandemia” e “Atividades físicas indoors”, entre outros. Além das lives, o grupo também vem promovendo conversas abertas ao público por meio da plataforma Zoom, como parte do clube de leituras Leituragens, iniciativa que surgiu de dentro do coletivo

      

 Professora Fernanda Duarte conversa com a escritora e jornalista Renata Ventura (esq.) / Cartaz de divulgação da live do dia 22 de maio sobre "Pandemias na história" (dir.).

 

Ações durante o isolamento social

Nesse momento de pandemia, o professor do Colegiado de Matemática Leandro Tavares ressaltou a importância de oferecer aos alunos e ao público em geral mais um ambiente de troca e articulação. Um ambiente que também aproxima docentes e discentes, separados fisicamente. Já Felipe Ferreira, do Colegiado do Ensino Médio Integrado, destacou o caráter participativo da iniciativa, que tem selecionado os assuntos das lives a partir da demanda, sobretudo, de estudantes. “As temáticas dessas conversas que a gente estabelece são provenientes de participações lá na rede social, lá nos stories, nas consultas que a gente faz e também na nossa caixa de sugestões, que fica permanentemente disponível no Instagram”, frisou.

O resultado tem sido positivo. De acordo com a professora do Colegiado de Turismo Alice Moraes, as lives são um meio importante na promoção de diálogos e interações, e no estreitamento de relações, principalmente no contexto atual de isolamento social. “As lives têm sido muito boas, envolvendo não apenas integrantes de nossa comunidade acadêmica, mas também seguidores que se identificam com nossa visão de educação. O que podemos perceber é que os participantes ficam muito à vontade para interagir, há sempre bastantes comentários no chat durante as transmissões, havendo tanto perguntas, como compartilhamento de experiências, desabafos e exposições de posicionamentos”, afirmou Alice.

“Nossas ações são, na verdade,  respostas. A gente está tentando ficar sensível ao que a comunidade e os alunos estão precisando e tentando nos articular para construir soluções juntos”, complementou Marcília Barcelos, do Colegiado de Licenciatura em Física.

 

Sobre o Coletivo de Professores

Reunião realizada pelo Coletivo de Professores no Saguão do campus Petrópolis em 2019.

“A educação – essa que muda o mundo – não dá pra fazer sozinho. O Coletivo é importante porque ele permite tornar real tudo que eu acredito que seja a educação. Educação é coisa que se faz caminhando junto”, enfatizou Marcília.

Criado em outubro de 2019 como um grupo independente, o Coletivo de Professores reúne docentes de todos os cinco colegiados do campus Petrópolis. Segundo a professora Alice, o coletivo foi fundando buscando alternativas de representatividade referentes às demandas do trabalho docente. Para ela, é fundamental integrar uma iniciativa que busca defender “bandeiras atreladas à promoção de práticas político-pedagógicas favoráveis à educação pública, de qualidade e comprometida com o combate às desigualdades”.

Já Fernanda Duarte, do Colegiado de Engenharia de Computação, destacou a pluralidade do coletivo.  “É muito bom ouvir os diferentes pontos de vista. Nós criamos um espaço de troca, reflexão e integração que agrega muito para cada pessoa e nos permite ter ideias de como agir e nos posicionar. (...) Fizemos também um vídeo com uma mensagem para esse período de isolamento. Nesse vídeo nós divulgamos nosso posicionamento a respeito das aulas online e defendemos que ninguém pode ser deixado para trás, levantando a bandeira do ‘Nenhum a menos’”, ressaltou.

 

 

 

Fim do conteúdo da página