Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Informativo Eletrônico > Informativo Eletrônico - Novembro / Dezembro de 2017
Início do conteúdo da página

Informativo Eletrônico - Novembro / Dezembro de 2017

Publicado: Terça, 23 de Janeiro de 2018, 19h29 | Última atualização em Terça, 30 de Janeiro de 2018, 17h29 | Acessos: 1464
 
N° 24 | NOVEMBRO / DEZEMBRO DE 2017
 

 



  

Livro fotográfico marca centenário do Cefet/RJ

Registros de uma instituição centenária – Cefet/RJ adota perspectiva histórica singular


Celebrar um marco histórico, contribuindo para recordar e perpetuar memórias coletivas, é a proposta do livro Registros de uma instituição centenária – Cefet/RJ, lançado em comemoração dos 100 anos da instituição. “Longe de fazer qualquer balanço exaustivo, a obra pretende apresentar a instituição numa perspectiva histórica, identificando motivações e limites que permitiram a criação de uma escola-modelo”, explica a pesquisadora e integrante da equipe organizadora, Tereza Fachada.

Nessa reconstrução histórica, a linguagem fotográfica assume o protagonismo. Registros imortalizados no tempo recontam a trajetória de uma instituição que atravessou diferentes épocas e modelos educacionais, desde sua fundação como Escola Normal de Artes e Ofícios, até a preparação para se transformar em universidade. A perspectiva adotada enfatiza quatro elementos: símbolos, cultura escolar, espaços e transformações.


Powered by emaze

Navegue pelos capítulos do livro

O capítulo “Símbolos” reúne emblemas, flâmulas e outros distintivos que representam a instituição e sua comunidade. “Cultura escolar” apresenta um rico e diversificado acervo, composto por móveis, uniformes, maquinários, produções de alunos, atividades específicas do calendário institucional, entre outros. “Espaços” valoriza as construções arquitetônicas, até seus mínimos e belos detalhes. Em “Transformações”, encontram-se registros relacionados às diferentes mudanças de modelos educacionais.

O livro foi organizado pelas professoras Tereza Fachada e Dayse Pastore e pela programadora visual Isabela Devonish. O lançamento ocorreu no dia 8 de novembro de 2017, em solenidade conduzida pelo diretor-geral do Cefet/RJ, Carlos Henrique Figueiredo Alves, pelo vice-diretor e presidente da comissão do centenário, Mauricio Saldanha Motta, e pela professora Tereza.

 

 

Tecnologia & Cultura completa 20 anos de existência

Revista contribuiu para a consolidação da pós-graduação no Cefet/RJ


Lançada no segundo semestre de 1997, a revista acadêmica Tecnologia & Cultura, editada pelo Cefet/RJ, está completando 20 anos de publicação ininterrupta. O primeiro número teve uma tiragem de dois mil exemplares, 48 páginas impressas e contou com oito artigos de nove autores, dos quais quatro doutores e dois mestres, sendo os demais mestrandos.

Para comemorar os 20 anos de existência da revista, estamos publicando, neste Informativo, entrevista com o professor Carlos Alberto Gouvêa Coelho, um dos seis integrantes do Comitê Editorial, e coordenador da primeira edição junto com Rosa Lia Franca Vellozo. Gouvêa, mestre em Educação pela Uerj, engenheiro eletrônico e professor aposentado do Cefet/RJ, integrou o Comitê Editorial da revista por três anos e destaca a importância da publicação para a consolidação de uma cultura de pós-graduação na instituição. Ele enfatiza que a revista foi um instrumento de estimulação para a divulgação de pesquisas e trabalhos acadêmicos nos mais diversos níveis de ensino. “Viabilizar uma publicação para todos, estimular a produção de artigos e auxiliar nessa produção, quando necessário, certamente ajudou a consolidar a pós-graduação no Cefet/RJ”, ressalta Gouvêa.

Em breve, publicaremos mais entrevistas com os editores da publicação. A seguir, a entrevista na íntegra com o professor Carlos Alberto Gouvêa Coelho.

# CEFET_RJ: Qual a importância da revista para o Cefet/RJ? A revista foi importante no processo de concretizar os programas de pós-graduação da instituição?

Carlos Alberto Gouvêa Coelho: Na época de criação da revista, ainda estava se iniciando a pós-graduação no Cefet/RJ e a revista seria um elemento importante para que a comunidade acadêmica pudesse começar a publicar artigos, fornecendo uma primeira oportunidade e também ajudando a superar as dificuldades inerentes à escrita formal. Não só aqueles que já estavam na pós-graduação (alunos e professores) podiam participar, como ocorre hoje na maioria das publicações, mas também todos os docentes e técnicos dos diversos níveis e funções, estimulando o acesso a cursos de aperfeiçoamento, especialização etc. Esse processo de viabilizar uma publicação para todos, estimular a produção de artigos e auxiliar nessa produção, quando necessário, certamente ajudou a consolidar a pós-graduação no Cefet/RJ.

# CEFET_RJ: Como você vivenciou, pessoal e profissionalmente, o período em que foi coordenador das edições da revista? Lembra por quanto tempo você foi o editor? Teria algo que gostaria de destacar?

CAGC: Nesta questão, permito-me fazer um breve relato de como cheguei à revista Tecnologia & Cultura e dela saí. Fui nomeado para compor o Comitê Editorial (COMEDI) da revista pela Portaria nº 419, de 05 de junho de 1996, bem antes de sua primeira edição, representando o (então) ensino técnico de nível médio. Os primeiros convites para colaboração com artigos foram expedidos em agosto de 1996 e ainda não havia a denominação Tecnologia & Cultura, à qual chegamos depois. Quando fui convidado, a minha função seria a de analisar os artigos recebidos de professores e servidores técnicos ligados ao DE-2 (Departamento de Ensino de 2º Grau, denominação oficial da época), dando parecer quanto à adequação aos objetivos da publicação. Mas, como a maioria dos membros do comitê tinha outras funções e eu era “apenas” professor, acabei ficando com a análise de todos os artigos e a Rosa Lia com a revisão. Após algum tempo trabalhando juntos, comecei a fazer também a revisão dos aspectos formais dos artigos, como a submissão às normas da ABNT. No início, recebíamos muito material fora das normas; nesses casos, procurávamos o autor e trabalhávamos junto com ele, quando possível.

Entendo que esse processo foi importante para preparar nossos colegas para que pudessem submeter seus trabalhos a publicações externas. Creio que essa foi a minha contribuição mais importante no tempo que passei no Comitê Editorial. E também aprendi muito, pois melhorei a minha própria escrita, com a ajuda da Rosa Lia, e aperfeiçoei meu conhecimento nos aspectos formais da elaboração de trabalhos acadêmicos e materiais didáticos. Destaco, ainda, a boa convivência dentro do comitê e com pessoas da instituição e de fora dela. Saí do comitê em outubro de 2000, a pedido.

 

# CEFET_RJ: Como você avalia a revista, que está completando 20 anos e agora se encontra on-line?

CAGC: Não acompanhei o processo de elaboração da revista após o ano de 2000. Se tiver sido retomada a orientação do início, de aceitar contribuições que sejam relevantes pelo conteúdo, e não apenas pelo autor, então certamente será um veículo importante para o crescimento daqueles que buscam divulgar suas contribuições à inteligência brasileira.

 

 

 

Mostras da Cesgranrio premiam alunos do Cefet/RJ no ano do centenário

"Ato de coragem” foi a esquete vencedora da mostra teatral

Foto: Fundação Cesgranrio


A esquete “Ato de coragem”, de autoria do estudante André Luiz Pereira Jr., conquistou o primeiro lugar da mostra competitiva teatral promovida pela Fundação Cesgranrio em comemoração do centenário do Cefet/RJ. Na mostra musical, foram quatro premiados: Lívia Ferrete e Caio Pinheiro, primeiro e segundo lugares da categoria vocal, respectivamente; e Gabriel Rodrigues e Vitor Adur, primeiro e segundo colocados da modalidade instrumental.

   

 



Vencedores, em primeiro lugar, das categorias instrumental e vocal

   Fotos: Fundação Cesgranrio

A mostra teatral recebeu inscrições de 22 trabalhos. Desses, 10 foram selecionados para participar da competição, no dia 22 de novembro, no campus Maracanã do Cefet/RJ. O vencedor ganhou um prêmio no valor de R$ 7 mil e consultoria especializada de um dramaturgo e um produtor teatral, para transformar a esquete em espetáculo teatral.

Na modalidade musical, foram inscritos 63 trabalhos: 43 na categoria vocal e 20 na instrumental. Em cada uma delas, foram escolhidos 5 trabalhos para se apresentar na mostra competitiva, no dia 23 de novembro. Os classificados em primeiro lugar foram agraciados com prêmios no valor de R$ 3,5 mil e os que ficaram em segundo lugar, com R$ 2 mil.

Além dos prêmios, também houve a concessão de menções honrosas. Na mostra teatral, Victor Prado Siqueira recebeu a distinção pela esquete “No final do arco-íris”. Na categoria vocal da mostra musical, o contemplado foi Lucas Amorim.

As mostras teatral e musical foram concebidas com o propósito de integrar a Fundação Cesgranrio às comemorações do centenário, explorando a vocação artística da instituição e estimulando a formação integral dos estudantes. Puderam participar alunos e ex-alunos do Cefet/RJ.

 

Com informações da Fundação Cesgranrio.

 

 

 

Vencedores de concurso literário invocam memórias do Cefet/RJ

Alunos premiados (da esquerda para a direita): Vitória Beatriz Souza, Aline Lemos da Costa e Felipe Aleixo


Memórias individuais e coletivas invocadas em diferentes estilos ficcionais definiram o tom das redações vencedoras do concurso literário “Histórias do/no Cefet: vivências, experiências, descobertas, desafios”, promovido em parceria com a Fundação MUDES e o banco Santander, em comemoração do centenário do Cefet/RJ.

O primeiro lugar foi conferido à redação “A perda das noções de tempo e os cem anos que são meus e nossos e do que eu jamais chamaria de solidão”, de Vitória Beatriz Trindade Souza, aluna do 4° ano do curso de AEL. O enredo é conduzido por um Cefet/RJ personificado, que rememora vivências da autora entrelaçadas à história centenária da instituição. “Lembro-me dos teus olhos brilhando na primeira vez em que andou lá no bosque. É, menina, eu vi. Não me encara assim meio duvidosa, só porque a aparência que tenho não revela metade do que vivi, e me ouve com atenção.”

Aline Lemos da Costa, aluna do 3° ano do curso técnico em Edificações, conquistou o segundo lugar com a redação intitulada “O arlequim e o livro azul”. A fábula conta a visita ao Cefet/RJ de um arlequim que gostava de ler memórias e lembranças dos lugares pelos quais passava. Ao invocar o “livro azul”, de memórias da instituição, o personagem se surpreende. “E viu que faltavam algumas páginas, viu páginas incompletas com diferentes começos e fins. Sentou-se no chão, tonto e perdido ao ler aquilo, percebeu que ainda tinha folhas brancas esperando para serem preenchidas!”

De autoria de Felipe Aleixo dos Santos Couto, aluno do 4° ano do curso técnico em Mecânica, “Álbum de fotos” ficou em terceiro lugar. Com estilo machadiano de diálogo entre narrador e leitor, o autor rememora a descoberta, no auge de uma insônia, do álbum de fotos da época em que era aluno do Cefet/RJ. “‘Mas, ainda, o que há de tão especial nisso?’, bom, querido leitor cético, as fotos vão deixando a resposta cada vez mais clara.”

As redações foram escolhidas por uma comissão julgadora composta por docentes de Língua Portuguesa e Literatura Brasileira do Cefet/RJ. O concurso contou com a participação de mais de 120 alunos do ensino técnico. Os vencedores foram contemplados com os seguintes prêmios, concedidos pela Fundação MUDES e pelo banco Santander: R$ 3 mil para o primeiro lugar; R$ 2 mil para o segundo e R$ 1 mil para o terceiro. A premiação ocorreu no dia 21 de dezembro, na sede da Fundação MUDES.

 

Leia, na íntegra, as redações vencedoras:

1° lugar: “A perda das noções de tempo e os cem anos que são meus e nossos e do que eu jamais chamaria de solidão” - Vitória Beatriz Trindade Souza

2° lugar: “O arlequim e o livro azul” - Aline Lemos da Costa

3° lugar: “Álbum de fotos” - Felipe Aleixo dos Santos Couto

 

Câmara Municipal de Nova Friburgo concede Moção de Louvor ao Cefet/RJ


A diretora do campus Nova Friburgo, Bianca Tempone; o diretor–geral do Cefet/RJ, Carlos Henrique Figueiredo Alves (ao centro), e o vereador Professor Pierre


Em mais uma homenagem comemorativa pelo centenário da instituição, o Cefet/RJ foi agraciado com uma Moção Especial de Louvor pela Câmara Municipal de Nova Friburgo. A proposição foi do vereador Professor Pierre (PSOL) que, no dia 22 de dezembro, entregou a honraria ao diretor-geral do Cefet/RJ, Carlos Henrique Figueiredo Alves. “O Cefet/RJ é a única instituição de ensino que cresce continuamente em Nova Friburgo, contrastando com outras universidades do município que estão fechando cursos, suspendendo vestibular, reduzindo sua atuação”, destacou o autor da iniciativa parlamentar.

A diretora do campus Nova Friburgo do Cefet/RJ, Bianca de França Tempone Felga de Moraes, também esteve presente no gabinete da Direção-Geral da instituição durante a entrega do documento parlamentar. O texto da moção de louvor, assinada pelos 21 vereadores de Nova Friburgo, destaca que a homenagem ao Cefet/RJ foi realizada “pelos seus 100 anos de história em excelência na oferta do desenvolvimento educacional e tecnológico”. Ao agradecer a Câmara Municipal de Nova Friburgo, o diretor-geral do Cefet/RJ comprometeu-se a continuar mobilizando esforços pela ampliação do campus naquele município. “Em nome da instituição, agradeço pelo reconhecimento legislativo e esperamos continuar correspondendo à expectativa da cidade”, enfatizou o professor Carlos Henrique Alves.

Ao ressaltar a importância do Cefet/RJ para o desenvolvimento do município, o vereador Professor Pierre observou que “enquanto instituições de ensino públicas e privadas estão em descenso, o Cefet/RJ está em ascensão em Nova Friburgo, sendo um oásis no deserto de abandono em que se encontra a educação”. O campus Nova Friburgo foi inaugurado em dezembro de 2008 e conta com cerca 800 alunos nos seus diversos cursos, do ensino médio/técnico à pós-graduação.

Expediente:

Direção-Geral:
Carlos Henrique Figueiredo Alves

Vice-Direção:
Maurício Saldanha Motta

Editor Responsável:
Mariana Thereza Pereira Sant’Anna – Mtb 22.457

Redação:
Gláucia da Silva Mendes Moraes – Mtb 14.440

Revisão:
Natasha Juliana Mascarenhas Pereira

Planejamento Editorial:
Isabela Eugenio Almeida – Conrerp 3824
Marilda Barroso Bottino – Conrerp 2690

Programação Web:
Departamento de Tecnologia da Informação

Projeto Gráfico/Diagramação:
Fernando da Silveira Bracet
Isabela Menezes da Silva Devonish

Fotografia:
Divisão de Comunicação Social

Redação do Informativo:
Av. Maracanã, 229 – Bloco E – 1º andar
Maracanã – Rio de Janeiro – CEP: 20271-110
Telefones: (21) 2568-2016
(21) 2566-2169
(21) 2566-3071
Site: http://www.cefet-rj.br
E-mail: dicom
@cefet-rj.br
registrado em:
Fim do conteúdo da página