Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Informativo Eletrônico > Informativo Eletrônico – Outubro / Novembro / Dezembro de 2018
Início do conteúdo da página

Informativo Eletrônico – Outubro / Novembro / Dezembro de 2018

Publicado: Quarta, 09 de Janeiro de 2019, 20h13 | Última atualização em Quinta, 17 de Janeiro de 2019, 17h04 | Acessos: 2691
 
N° 28 | OUTUBRO / NOVEMBRO / DEZEMBRO DE 2018
 

 



  

Alunos do Cefet/RJ obtiveram excelente desempenho no Enade 

Três cursos de Engenharia Mecânica do Cefet/RJ estão entre os seis do estado do Rio de Janeiro que alcançaram o conceito 4


Os alunos dos cursos de Engenharia, Sistemas de Informação, licenciatura em Física e Ciência da Computação do Cefet/RJ obtiveram um excelente resultado no Exame Nacional de Desempenho dos Estudantes (Enade). A avaliação é do vice-diretor da instituição, professor Mauricio Saldanha Motta, ao comentar os resultados do Enade de 2017, que estão sendo divulgados este ano. “A maioria dos cursos avaliados obteve conceito 4 e isso vai impactar positivamente na avaliação da instituição”, comemora o vice-diretor do Cefet/RJ. O conceito máximo a ser atingido no Enade é a nota 5. 

O curso de Sistemas de Informação do campus Nova Friburgo obteve nota 5 e já é considerado o melhor do país, dentre mais de 500 cursos em atividade indicados no e-MEC e levando em consideração o conceito contínuo divulgado pelo Inep/MEC. Os três cursos de Engenharia Mecânica da instituição também alcançaram lugar de destaque, dentre os mais de 70 cursos existentes no estado do Rio de Janeiro. Os três ficaram entre os seis cursos que conseguiram alcançar a maior pontuação estadual – o conceito 4. Dentre os 22 cursos de Ciência da Computação do estado do Rio de Janeiro, três alcançaram o conceito 5 e outros três chegaram ao conceito 4, estando o curso do Cefet/RJ entre estes. 

Os cursos de licenciatura em Física do Cefet/RJ ficaram entre os cinco que alcançaram a maior pontuação no estado do Rio de Janeiro. Dentre os 27 cursos ativos no estado, cinco alcançaram o conceito 4, conforme consta no e-MEC. “As notas do Enade comprovam a qualidade acadêmica dos nossos cursos”, enfatiza a diretora de Ensino, professora Gisele Vieira. Ela explica que a nota dos alunos concluintes no Enade é uma das três dimensões que compõem o conceito preliminar de curso (CPC). Além do desempenho dos estudantes, o corpo docente – avaliado na proporção de mestres, doutores e regime de trabalho – e a percepção dos alunos sobre as condições do processo formativo – medido em relação à organização didático-pedagógica, à infraestrutura e às instalações físicas e, ainda, às oportunidades de ampliação da formação acadêmica e profissional – são outras duas dimensões componentes do CPC.  

“O peso da nota do Enade, por meio do CPC, contribui significativamente na constituição da nota da instituição, representada pelo indicador de qualidade denominado Índice Geral de Cursos (IGC). Vale lembrar que a avaliação de desempenho dos estudantes acontece de três em três anos; portanto, alcançamos um avanço significativo no curto tempo de três anos, pois atingimos o patamar de nota 4 em um máximo de 5”, comemora a professora Gisele Vieira. A diretora de Ensino do Cefet/RJ esclarece que os ciclos avaliativos para os cursos das áreas de Ciências Exatas – onde se encontram os cursos de Engenharia – e de licenciatura – como o de Física – acontecem a cada três anos. O Enade integra o Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior (Sinaes) e, segundo a diretora, funciona como um indicador da qualidade do egresso, já que seu objetivo é avaliar o desempenho dos estudantes em relação aos conteúdos programáticos específicos do curso e aos temas de conhecimentos gerais. 

“Todos os nossos cursos possuem docentes altamente qualificados na titulação acadêmica e na experiência profissional, além de dispormos de uma infraestrutura diferenciada; esses fatores garantem um ensino de excelência para nossos alunos e o resultado da qualidade do ensino no Cefet/RJ está representado no desempenho que o corpo discente obteve no Enade”, destaca o vice-diretor. O Enade de 2017 foi realizado pelos estudantes que concluíram 80% da carga horária mínima do currículo do curso e também pelos estudantes que estavam com expectativa de formatura em julho de 2018. Os alunos do Cefet/RJ que realizaram o Enade em 2017 são dos seguintes cursos: Engenharia Civil; Engenharia de Controle e Automação; Engenharia de Produção; Engenharia Elétrica; Engenharia Eletrônica; Engenharia de Telecomunicações; Engenharia Mecânica; Sistemas de Informação; Ciência da Computação; e licenciatura em Física. “Os alunos compreendem que realizar a prova do Enade com empenho e dedicação é uma atitude para valorizar o seu diploma”, afirma o vice-diretor do Cefet/RJ. 

 

 

Ciência para redução das desigualdades demonstra a importância do Cefet/RJ, afirma vice-diretor 

Tema da Sepex – Ciência para a redução das desigualdades – está vinculado à justiça social, afirma Mauricio Motta


A importância de uma instituição pública de ensino para o desenvolvimento do país é confirmada na realização de um evento que demonstra como o ensino, a pesquisa e a extensão são atividades inseparáveis para valorizar a formação dos estudantes. A afirmação foi feita pelo vice-diretor do Cefet/RJ, professor Mauricio Saldanha Motta, ao realizar o discurso de abertura da Semana de Ensino, Pesquisa e Extensão, evento inserido nas propostas da Semana Nacional de Ciência e Tecnologia do governo federal. O tema da Sepex 2018 foi “Ciência para redução das desigualdades” e a extensa programação aconteceu entre os dias 15 e 21 de outubro em todos os campi. 

A solenidade de abertura aconteceu no Auditório 1 do campus Maracanã, no dia 16. Além do vice-diretor, estiveram presentes na mesa de abertura a diretora de Ensino, professora Gisele Maria Ribeiro Vieira; o diretor de Pesquisa e Pós-graduação, professor Pedro Manuel Calas Lopes Pacheco; a diretora de Extensão, Maria Alice Caggiano de Lima; e o chefe do Departamento de Extensão e Assuntos Comunitários (DEAC), professor André Alexandre Guimarães Couto. O vice-diretor do Cefet/RJ destacou que o tema deste ano da Sepex – redução das desigualdades – “não poderia ser mais pertinente, já que possui um vínculo com a questão da equidade e da justiça social, visando tornar a sociedade brasileira cada vez melhor”. 

 A professora Gisele Vieira enfatizou que o Cefet/RJ é uma instituição de excelência acadêmica na qual as atividades de ensino, pesquisa e extensão acontecem em todos os níveis de ensino, desde o médio/técnico até o doutorado. Já o professor Pedro Pacheco ressaltou que o Cefet/RJ sempre realizou ações acadêmicas vinculadas ao tema da Sepex 2018. “A sociedade brasileira precisa de inovações científicas para avançar e o Cefet/RJ tem muito a contribuir”, disse o diretor de Pesquisa e Pós-graduação. A diretora de Extensão enfatizou a importância de se valorizarem as ações de uma instituição pública como o Cefet/RJ, que sempre esteve a serviço dos cidadãos brasileiros. Já o chefe do DEAC, professor André Couto, comemorou a realização de 20 anos de Expotec no Cefet/RJ, um evento de extensão que se expandiu na direção da Sepex. 

– Temos uma tradição de duas décadas de exposição de Ciências sem interrupção, a Expotec; sempre abrimos as portas do Cefet/RJ para outras escolas, instituições de pesquisas e comunidades – disse o chefe do DEAC. 

Após os pronunciamentos dos integrantes da mesa de abertura do evento, a professora Dayse Pastore, doutora e mestre em Matemática pelo Instituto Nacional de Matemática Pura e Aplicada (IMPA), proferiu palestra sobre a desigualdade de gênero na Ciência. A professora do Cefet/RJ revelou que, no IMPA, dos 49 pesquisadores da instituição, existe apenas uma mulher e discutiu a questão dos estereótipos de gênero na área científica e tecnológica, especialmente nos campos da Engenharia e da Matemática. 

 

Eventos SEPEX 2018 
A Semana de Ensino, Pesquisa e Extensão do Cefet/RJ contou com os seguintes eventos: 

EXPOTEC RIO’2018 
Exposição da produção em ciência e tecnologia de alunos de cursos de educação profissional técnica de nível médio do estado do Rio de Janeiro. 

EXPOSUP RIO’2018 
Exposição da produção em ciência e tecnologia de alunos dos cursos superiores e de pós-graduação do sistema Cefet/RJ.                                                                                                            

XXIII CICLO MULTIDISCIPLINAR 
Apresentação de palestras, seminários, ciclo de debates, minicursos e atividades artístico-culturais. 

XXVI JIFET 
Jogos das Instituições Federais de Ensino Tecnológico da Região Sudeste. 

VI JIPP 
Jornada Integrada de Pesquisa e Pós-graduação. 

 

 

Diversidade temática e alta qualidade acadêmica marcam a SEPEX 2018

Cerca de 200 trabalhos de pesquisa foram expostos durante a Sepex 2018


Ampla diversidade de temas e uma melhora significativa na qualidade acadêmica dos trabalhos apresentados. Essa é a avaliação que o chefe do Departamento de Extensão e Assuntos Comunitários, professor André Alexandre Guimarães Couto, faz em relação à Semana de Ensino, Pesquisa e Extensão (SEPEX 2018). Segundo o professor André, a quantidade de projetos de pesquisa expostos também é expressiva: somando apenas os trabalhos da EXPOTEC e da EXPOSUP, foram cerca de 200 projetos. 

“Atualmente, não temos apenas projetos na área tecnológica, mas também há projetos na área de ciências humanas e sociais, como História, Filosofia, Turismo e também na área da Saúde”, informa o chefe do DEAC. O Ciclo Multidisciplinar também contou com um grande número de trabalhos e foram realizadas cerca de 80 palestras, além da apresentação de 40 pôsteres. “A SEPEX é um evento aberto e gratuito para toda a sociedade e é uma alegria muito grande para a instituição receber milhares de visitantes nos seus campi para conhecer os nossos trabalhos”, ressaltou.

 

O Ciclo Multidisciplinar contou com a apresentação de cerca de 40 pôsteres


O chefe do DEAC comemora os 20 anos de existência da EXPOTEC, mas lembra que antes já existia a Semana de Extensão no Cefet, criada em 1996. “O Cefet/RJ possui uma longa tradição em projetos de extensão e, antes mesmo da criação da Semana de Extensão, já existia a FETEC, feira de tecnologia, logo depois denominada INFOTEC, feira de ciência, tecnologia e informática; há dois anos, mudamos o enfoque e também o nome para SEPEX, reunindo ensino, pesquisa e extensão em um mesmo evento acadêmico”, conta o professor e historiador. 

Outro ponto que o chefe do DEAC destaca é a importância da participação dos alunos como monitores durante a SEPEX. Foram 35 alunos do ensino médio/técnico que se apresentaram para o trabalho voluntário e deram uma valiosa ajuda. “Esses monitores vestiram a camisa do evento e nos ajudaram muito; isso demonstra o engajamento dos nossos alunos em relação à instituição”, enfatiza André. Em relação ao financiamento para a realização do evento, o chefe do DEAC diz que gostaria que as principais agências de fomento à pesquisa oferecessem mais apoio. “O Cefet/RJ investe pesado na SEPEX, mas é preciso mais: é fundamental que as grandes agências financiadoras olhem com mais atenção para esse evento”, analisa. 

 

 

Fórum de Ensino debate estratégias pedagógicas para o êxito acadêmico 

III Fórum de Ensino discute estratégias do trabalho pedagógico para permanência e êxito dos alunos na instituição


As interfaces do trabalho pedagógico para permanência e êxito dos alunos do Cefet/RJ foram o tema central deste ano do III Fórum de Ensino, evento integrante da Semana de Ensino, Pesquisa e Extensão (Sepex) 2018 e promovido pela instituição em todos os seus campi. A abertura do fórum aconteceu no Auditório 1 do campus Maracanã e contou com a presença do vice-diretor, professor Mauricio Saldanha, e da diretora de Ensino, professora Gisele Maria Vieira. A Sepex 2018 faz parte da Semana Nacional de Ciência e Tecnologia promovida pelo governo federal. O vice-diretor discorreu sobre a qualidade do ensino no Cefet/RJ e ressaltou que a excelência acadêmica da instituição se estende do nível médio/técnico até os cursos de doutorado, destacando as ótimas avaliações que as graduações recebem no Exame Nacional de Desempenho dos Estudantes (Enade). 

Logo após a abertura, teve início a mesa-redonda “Saúde Mental e potencial cognitivo”, com Fátima Regina Brito Uhr – neuropsicóloga e psicopedagoga, mestre em Psicologia Cognitiva e professora da Rede Faetec – e Claudio Costa, psicólogo, pós-graduando em neuropsicologia e especialista em Gestalt. Os palestrantes discutiram a relação entre o processo de ensino-aprendizagem e a saúde mental dos estudantes. Em seguida, aconteceu a “Conversa sobre Direitos Humanos e Diversidade no Cefet/RJ”, com a presença dos professores André Alexandre Guimarães Couto e Thiago Rodrigues da Silva, ambos integrantes da Comissão do Pacto dos Direitos Humanos da instituição. Eles explicaram as linhas principais do Pacto Universitário pela Promoção do Respeito à Diversidade, da Cultura da Paz e dos Direitos Humanos, iniciativa conjunta do Ministério da Educação e do Ministério da Justiça e Cidadania. A expectativa é que, ao promover a educação em direitos humanos nas escolas, as ações realizadas em relação ao tema contribuam para a superação da violência, do preconceito e da discriminação. 

Na parte da tarde, ocorreu a mesa-redonda sobre políticas e ações para permanência e êxito nas instituições públicas de ensino superior. Esse debate contou com a presença das pedagogas e pesquisadoras do Instituto Federal Fluminense, Heise Aires Areas e Saionara Rosa da Cruz, e também da professora Mônica Valle de Carvalho, pró-reitora de Assuntos Estudantis da Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (UNIRIO). O III Fórum de Ensino, realizado no dia 16 de outubro, foi encerrado com o debate envolvendo os integrantes da Comissão de Permanência e Êxito do Cefet/RJ. 

 

 

Semana Lixo Zero apresenta proposta para redução de resíduos 

Ações de sustentabilidade do Cefet/RJ visam ser exemplo para a sociedade, destaca vice-diretor


Ao abrir a Semana Estadual do Lixo Zero no Cefet/RJ, o diretor-geral da instituição, professor Carlos Henrique Figueiredo Alves, destacou a importância de o tema da sustentabilidade ambiental estar presente no cotidiano da sociedade e ressaltou a necessidade de se ter consciência ecológica em relação à redução do lixo. “É uma satisfação poder colocar um assunto relevante em nossa vida pessoal e em nossa vida acadêmica”, enfatizou o diretor. O evento “Lixo Zero dentro e fora de casa” foi realizado no Auditório 1 do campus Maracanã, no dia 26 de outubro, e abriu oficialmente a Semana Lixo Zero no estado do Rio de Janeiro. 

O diretor-geral do Cefet/RJ relatou que, em 1998, quando realizava um curso de pós-doutorado nos Estados Unidos, o condomínio no qual estava residindo já tinha um trabalho de conscientização em relação ao lixo. “Há 20 anos, nesse condomínio em que morei, já se fazia a separação lixo, dentro e fora da casa de cada morador”, contou. O diretor lembrou que o Cefet/RJ também já tem uma comissão que atua em relação ao destino dos resíduos sólidos e do lixo orgânico. “A proposta do lixo zero é um tema transversal na academia, que deve estar presente em todos os cursos e disciplinas”, afirmou. 

O vice-diretor do Cefet/RJ, professor Mauricio Motta, destacou a relevância de o Cefet/RJ participar do Fórum Permanente de Desenvolvimento Estratégico do Estado do Rio de Janeiro, que promove a Semana Lixo Zero, para divulgar as iniciativas de redução de resíduos nas entidades que participam desse Fórum e também para formar parcerias com instituições que podem avançar na construção de uma agenda sustentável. “O Cefet/RJ participa da agenda ambiental na administração pública e nossas ações de sustentabilidade visam ser um exemplo para a sociedade”, destacou o vice-diretor. Criado em 2003, na Assembleia Legislativa, o Fórum Permanente de Desenvolvimento Estratégico do Estado do Rio de Janeiro tem como foco promover inovações a partir da interação constante entre academia, setor produtivo e Poder Legislativo estadual. 

O presidente da Sociedade de Engenheiros e Arquitetos do Estado do Rio de Janeiro (Seaerj), professor Haroldo Mattos de Lemos, abriu o encontro abordando o impacto das tecnologias e da indústria 4.0 na Agenda 2030, da Organização das Nações Unidas (ONU). Em seguida, explicando a iniciativa da ONU, a diretora de Gestão Estratégica do Cefet/RJ, Úrsula Maruyama, falou sobre o protagonismo estudantil. A analista de sustentabilidade Dolores Lustosa apresentou os projetos que estão sendo desenvolvidos pelo Sebrae/RJ e os desafios da implementação do gerenciamento de resíduos sólidos. O fundador da agência MateriaBrasil, Bruno Temer, discutiu o papel do design no consumo consciente, enquanto a secretária-geral do Fórum de Desenvolvimento do Rio, Geiza Rocha, abordou os desafios de comunicar a sustentabilidade nas instituições públicas. 

Desde 2015, o Fórum de Desenvolvimento Estratégico do Estado do Rio participa da Semana Lixo Zero, realizada em vários estados. A proposta é reunir cidadãos para trocar ideias, expor boas práticas e soluções inovadoras para a gestão dos resíduos sólidos. Este ano, a Semana Lixo Zero passou a integrar o calendário estadual de eventos, com a publicação do Decreto nº 46.435/2018. 

Programação 

10h Abertura 

10h15 Indústria 4.0 e sua relação com os Objetivos do 
Desenvolvimento Sustentável (ODS) – Haroldo Mattos de Lemos, presidente da SEAERJ (Sociedade dos Engenheiros e Arquitetos do Estado do Rio de Janeiro) 

11h Protagonismo estudantil em prol da Agenda 2030 – Ursula Maruyama, diretora de Gestão Estratégica do Cefet/RJ 

11h15 A importância do Programa de Reciclagem criado pela Escola Brasileira de Administração Pública (EBAPE) – Jonathan Speier, professor da Fundação Getúlio Vargas (FGV) 

11h30 Os desafios da implementação do gerenciamento de resíduos sólidos – Dolores Lustosa, Analista de Sustentabilidade do Sebrae/RJ 

11h45 O papel do design no consumo consciente – Bruno Temer, fundador da Agência de Design MateriaBrasil 
12h – Os desafios de comunicar a sustentabilidade – Geiza Rocha, secretária-geral do Fórum de Desenvolvimento do Rio.

 

Expediente:

Direção-Geral:
Carlos Henrique Figueiredo Alves

Vice-Direção:
Maurício Saldanha Motta

Editor Responsável:
Mariana Thereza Pereira Sant’Anna – Mtb 22.457

Redação:
Divisão de Comunicação Social

Revisão:
Natasha Juliana Mascarenhas Pereira

Planejamento Editorial:
Isabela Eugenio Almeida – Conrerp 3824
Marilda Barroso Bottino – Conrerp 2690

Programação Web:
Departamento de Tecnologia da Informação

Projeto Gráfico/Diagramação:
Fernando da Silveira Bracet
Isabela Menezes da Silva Devonish
Thaís Cabral Pires Alves

Fotografia:
Divisão de Comunicação Social

Redação do Informativo:
Av. Maracanã, 229 – Bloco E – 1º andar
Maracanã – Rio de Janeiro – CEP: 20271-110
Telefones: (21) 2568-2016
(21) 2566-2169
(21) 2566-3071
Site: http://www.cefet-rj.br
E-mail: dicom
@cefet-rj.br
registrado em:
Fim do conteúdo da página