Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Notícias > Estudantes do Cefet/RJ conquistam cinco medalhas na Olimpíada Brasileira do Oceano (O2)
Início do conteúdo da página

Estudantes do Cefet/RJ conquistam cinco medalhas na Olimpíada Brasileira do Oceano (O2)

Publicado: Terça, 23 de Novembro de 2021, 16h30 | Última atualização em Quinta, 25 de Novembro de 2021, 15h06 | Acessos: 227

Estudantes do ensino médio/técnico do Cefet/RJ Unidade Maracanã se destacaram na Olimpíada Brasileira do Oceano (O2), que teve o resultado divulgado em 18 de novembro. Gabriel Alves de Souza, aluno do curso técnico em Mecânica, conquistou medalha de ouro. Os estudantes João Pablo Mahet (Mecânica) e Nathália Macedo (Meteorologia) garantiram medalhas de prata. Já as alunas Juliana França (Meteorologia) e Juliana Fernandes (Segurança do Trabalho) levam para casa medalhas de bronze.

Ao todo, nove estudantes do Cefet/RJ Unidade Maracanã participaram da disputa, sendo oito deles na modalidade “Conhecimento” e um na modalidade “Produções artísticas, culturais e/ou tecnológicas”, que terá o resultado divulgado apenas em 2022. Na modalidade “Conhecimento”, a O2 teve mais de 1.715 participantes de 145 instituições brasileiras. As provas foram realizadas entre os dias 21 e 23 de outubro.

Acesse o site oficial da olimpíada e confira a relação de vencedores.

Sobre o evento

A Olimpíada Brasileira do Oceano (O2) é um projeto educacional que tem por finalidade promover a cultura oceânica, ou seja, a compreensão do papel do oceano na nossa vida e a influência de nossas ações na natureza. A iniciativa se alinha à Década da Ciência Oceânica para o Desenvolvimento Sustentável da Organização das Nações Unidas (ONU) – para o período 2021/2030 – e às ações para atingir as metas dos Objetivos do Desenvolvimento Sustentável da Agenda 2030 da ONU.

A O2 trabalha conceitos científicos, atividades pedagógicas e realidades locais de forma proativa, inovadora, inter e transdisciplinar. O evento é promovido pelo Programa Maré de Ciência, da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp), em parceria com o British Council, a Unesco, a Fundação Grupo Boticário, o Ministério de Ciência, Tecnologia e Inovações (MCTI) e a Secretaria da Comissão Interministerial para os Recursos do Mar.

Fim do conteúdo da página