Ir direto para menu de acessibilidade.
Início do conteúdo da página

Projeto de turismo astronômico do campus Petrópolis é finalista do Prêmio Braztoa de Sustentabilidade

Publicado: Sexta, 06 de Outubro de 2017, 15h41 | Última atualização em Sexta, 06 de Outubro de 2017, 15h51 | Acessos: 279

Observar o céu. Encantar-se com as estrelas e com outros corpos celestes. Poder se deslumbrar com a escuridão natural da noite, sem a poluição luminosa ou atmosférica da cidade. Essas são algumas características que têm atraído adeptos no mundo todo para uma nova prática turística sustentável: o turismo astronômico. Entre seus entusiastas, está o grupo Turistando, formado pelos docentes do Cefet/RJ campus Petrópolis Roberta Dalvo, Marcelo Porretti e Fernando Pessoa, cuja iniciativa é finalista do Prêmio Braztoa de Sustentabilidade, na categoria Projetos Inovadores.

     
Momento de observação celeste durante expedição do projeto aos Castelos do Açu (Fotos de Waldy Neto)

Intitulado “Turismo astronômico como alternativa ao turismo em áreas protegidas: o desenvolvimento de uma proposta de roteiro de observação astronômica para os Castelos do Açu, em Petrópolis”, o projeto nasceu no início de 2017 com o objetivo de fortalecer este tipo de atividade por meio do bacharelado em Turismo oferecido pela unidade. “É um reconhecimento importante para o nosso trabalho, que vem sendo desenvolvido por uma equipe dedicada e que se complementa. Fernando é geógrafo, Marcelo trabalha com turismo de aventura e eu, com gestão ambiental. Além disso, é ótimo para apresentar a nossa instituição como inovadora na área do turismo”, destaca Roberta Dalvo.

Contando ainda com a participação de alunos do curso de Turismo, o projeto, que está em fase piloto, organiza expedições com o público interno para a visitação e a contemplação de corpos celestes nos Castelos do Açu, em Petrópolis. A região, que fica a 2.245 metros de altitude, faz parte do Parque Nacional da Serra dos Órgãos. A sua altitude e distância dos centros urbanos criam boas condições para a observação celeste.

“O turismo astronômico tem se firmado como alternativa sustentável para lugares pouco habitados, áreas chamadas de zonas escuras”, ressalta Marcelo Porretti. O projeto foi então pensado em consonância com as propostas da International Dark-Sky Association (IDA), organização que se dedica à preservação da iluminação natural de áreas com pouca densidade urbana e certifica esses locais com potencial de contemplação astronômica como dark-sky places. Os próximos passos da iniciativa são buscar recursos e parcerias para sua expansão para a comunidade externa e também a certificação da IDA, que seria a primeira no Brasil.

A expectativa do grupo Turistando agora é o resultado da premiação, realizada pela Associação Brasileira de Operadoras de Turismo (Braztoa), que acontecerá no dia 30 de outubro em Foz do Iguaçu.


Luana Pitzer, Daylane Pereira, Vitor Victorino e Paloma Andrade são os alunos de Turismo do Cefet/RJ campus Petrópolis que fazem parte do projeto

Fim do conteúdo da página