Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Notícias > Mestrado EaD do Cefet/RJ realiza primeira reunião de professores do curso
Início do conteúdo da página

Mestrado EaD do Cefet/RJ realiza primeira reunião de professores do curso

Publicado: Quinta, 29 de Fevereiro de 2024, 17h27 | Última atualização em Quinta, 29 de Fevereiro de 2024, 17h57 | Acessos: 5295

Docentes do Mestrado Profissional em Energia e Sociedade (MPES) se reúnem pela 1ª vez para planejamento de ações antes do início do curso, previsto para o 2º semestre

O Mestrado Profissional em Energia e Sociedade (MPES), primeiro Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu aprovado no país na modalidade de Educação a Distância (EaD), promoveu uma reunião inicial do corpo docente para orientações básicas e planejamento de ações relacionadas ao curso, que será ofertado pelo Cefet/RJ. O encontro aconteceu na tarde desta quarta-feira (28), no Auditório 5 da Unidade Maracanã. Ainda sem datas definidas, a expectativa é que a seleção de alunos e as aulas do mestrado iniciem no segundo semestre de 2024.    

Em sua fala, o diretor-geral do Cefet/RJ, Mauricio Motta, relembrou o pioneirismo da proposta e exaltou a resiliência da equipe que apostou no projeto e conseguiu aprová-lo junto à Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES). “Foi um trabalho de várias mãos do nosso colegiado e o esforço conjunto resultou na implementação desse programa, que já nasce como referência nacional”, exaltou o gestor. Motta também enfatizou que o curso surge no melhor cenário possível, pois a transição energética é pauta prioritária dos principais países do mundo e está alinhada com a política adotada pelo próprio governo brasileiro.

O MPES terá 14 docentes, sendo 10 deles de várias unidades da própria instituição e 4 professores externos. Entre os convidados está Nival Nunes de Almeida, professor titular e ex-reitor da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (Uerj), que além de ser um dos futuros docentes do programa, integrou o núcleo que elaborou o projeto aprovado pela CAPES. “O diferencial é que esse curso com foco profissional terá um olhar voltado para a mentoria, ou seja, o processo de desenvolvimento do estudante terá acompanhamento e será ligado às demandas que surgem da indústria e de outros setores, conectando a academia a problemas reais das empresas e da sociedade”, explicou.

Ainda durante a reunião, os docentes fizeram uma visita guiada às instalações da TV Cefet, local de gravação dos conteúdos digitais que serão utilizados nas atividades assíncronas do curso. O mestrado também terá encontros presenciais e aulas on-line, pela plataforma Microsoft Teams. Veja mais fotos do evento.

Professores conhecem estúdios de gravação e equipamentos da TV Cefet, onde serão gravados conteúdos digitais para as aulas do mestrado

Sobre o mestrado

Fruto da colaboração entre as diversas unidades do Cefet/RJ, o MPES adota uma política inclusiva ao incorporar docentes qualificados. Com 30% do corpo permanente composto por Bolsistas de Produtividade em Pesquisa CNPq e Jovens Cientistas do Nosso Estado FAPERJ, o curso abrange a área de concentração “Energia e Sociedade” e as linhas de pesquisa: “Energia Limpa e Meio Ambiente” e “Gestão e Desenvolvimento Social”.

O novo mestrado visa formar profissionais aptos a atuar em universidades, institutos de pesquisa, órgãos governamentais e empresas, focando em temas relevantes como energia sustentável, meio ambiente e sociedade. O Cefet/RJ, já reconhecido por seu comprometimento com a sustentabilidade, reforça essa posição com a instalação de usinas fotovoltaicas em seu sistema, contribuindo para a segunda posição no Ranking GreenMetric 2023 entre instituições sustentáveis no Estado do Rio de Janeiro.

A temática do programa, alinhada com as questões energéticas e ambientais cruciais para a sociedade, reflete as pesquisas e esforços colaborativos que levaram à aprovação do curso. A expectativa é que o MPES proporcione aos docentes oportunidades para desenvolver pesquisas inovadoras, participar de editais de agências de fomento e aprimorar laboratórios, além de possibilitar melhorias nas atividades de ensino e a criação de novos programas.

registrado em:
Fim do conteúdo da página