Ir direto para menu de acessibilidade.
Início do conteúdo da página

Napne inaugura sala de leitura na Biblioteca Central

Publicado: Quarta, 04 de Setembro de 2019, 11h55 | Última atualização em Quarta, 04 de Setembro de 2019, 13h46 | Acessos: 292

No dia 29 de agosto foi inaugurada a nova sala de leitura do Núcleo de Apoio a Pessoas com Necessidades Específicas (Napne) na Biblioteca Central, campus Maracanã. A sala é para uso de alunos e servidores e tem como objetivo efetivar o projeto de extensão “Ledores: olhos que conduzem ao saber”, viabilizar o estudo da temática da inclusão e capacitar alunos e servidores em tecnologia assistiva.

A sala possui mesa de estudos, estantes com obras para consulta e um computador acessível para deficientes visuais, com softwares de leitura de tela. O atendimento será feito por alunos voluntários e os horários já estão fixados na porta da sala.

A coordenadora do Napne, Margareth Amaral, destacou o percurso desde a idealização da sala até o projeto tornar-se realidade. “O projeto foi pensado inicialmente para suprir a necessidade específica de um aluno com deficiência visual. Montamos um grupo de servidores ledores para auxiliá-lo e depois fomos aprimorando as ações e transformamos num projeto de extensão. Desde de julho firmamos parceria com a biblioteca e esse novo espaço foi viabilizado para o desenvolvimento das ações”.

O aluno que a coordenadora do Napne menciona é Lucas Oliveira, estudante do 4º ano do curso técnico em Informática. Ele destaca a importância do projeto para alunos deficientes visuais. “Eu fico muito contente de ter participado do pontapé inicial desse projeto. A iniciativa é importante porque ela vai auxiliar os alunos que vão ingressar nos próximos anos e vai gerar menos prejuízo para a vida acadêmica deles, evitando reprovações e diminuindo a evasão.”

Projeto "Ledores: olhos que conduzem o saber"

A visão é um sentido muito importante para o desenvolvimento humano, é o que mais informações fornece sobre o ambiente que nos cerca. Portanto, segundo a coordenadora do Napne, o objetivo principal do projeto “Ledores: Olhos que conduzem ao saber” é criar uma forma de suprir essa necessidade. “O ledor é a pessoa que se dispõe a ler para aqueles que não conseguem visualizar textos em tinta com autonomia, como cegos e pessoas de baixa visão, ou para aqueles que tem dificuldade na leitura, como alguns casos de autismo, deficiência intelectual, déficit de atenção, entre outros”, explica Margareth. A coordenadora também destacou que o ledor é uma figura fundamental nas instituições de ensino, principalmente pela quantidade mínima de livros em braile disponíveis nas bibliotecas.

 

Veja as fotos do evento de inauguração da sala do Napne na Biblioteca Central:

Fim do conteúdo da página