Ir direto para menu de acessibilidade.
Início do conteúdo da página

Expin48: primeiro evento de inovação que reúne alunos do médio/técnico, da graduação e da pós-graduação do Cefet/RJ

Publicado: Sexta, 01 de Novembro de 2019, 14h36 | Última atualização em Sexta, 01 de Novembro de 2019, 16h14 | Acessos: 544

 

Inspirado no Invent for the Planet 2019, desafio internacional de inovação organizado pela Texas A&M University, o Expin48 promoveu, durante os dias 21, 22 e 23 de outubro, uma experiência de imersão em que 30 alunos do ensino médio/técnico, da graduação e da pós-graduação do Cefet/RJ tiveram 48 horas para desenvolver soluções tecnológicas inovadoras, que contribuíssem para solucionar problemas sociais contemporâneos.

Um dos objetivos do evento foi levar os participantes a perceberem a importância da inovação, da criatividade, do trabalho colaborativo e do conhecimento multidisciplinar na solução dos problemas. “A integração dos três níveis de ensino, através da combinação de diferentes olhares e experiências, acaba contribuindo para gerar projetos inovadores com impacto para a sociedade. Esse é um diferencial e um dos pontos fortes da nossa instituição, e que deve ser incentivado”, destaca Pedro Manuel Pacheco, idealizador do evento e membro da comissão organizadora do Expin48.

Os três dias de imersão foram cheios de emoção e muito trabalho. No primeiro dia, os participantes tiveram que formar as equipes, escolher um dos 12 temas apresentados pela organização e apresentar três soluções alternativas pensadas pela equipe. No segundo dia, após o feedback de mentores e da comissão organizadora, as equipes tiveram acesso a ferramentas e materiais para iniciar a construção dos protótipos funcionais. E, no último dia, foi o momento dos ajustes finais na solução e da montagem da apresentação para a comissão julgadora.   

O comitê de juízes convidados para o Expin48 incluiu representantes da Petrobras, da Finep, do Crea-RJ, do Inmetro, da General Electric, do Sebrae, do Sesc e da Radix. “Os jurados ficaram satisfeitos e destacaram a qualidade dos projetos produzidos”, relata Pedro Manuel Pacheco.

⇒ Veja a cobertura fotográfica completa do Expin48.

 

Equipes e projetos do Expin48

 

Membros das equipes participantes da 1ª edição do Expin48

As cinco equipes do Expin48 deveriam criar projetos que atendessem aos requisitos de qualidade técnica, viabilidade, inovação e apresentação sobre os temas escolhidos. Os protótipos apresentados foram: um biodigestor alimentado com restos de alimentos orgânicos a ser usado no restaurante estudantil do Cefet/RJ (equipe Amana); uma campainha pulseira, capaz de auxiliar idosos ou pessoas com limitação auditiva a atender a campainha ou o telefone (equipe Bom Velhinho); um sistema de ponto de ônibus inteligente, para facilitar a solicitação de ônibus por meio de um totem (equipe Express); e um classificado on-line de aparelhos eletrônicos defeituosos ou obsoletos, para fazer a ponte com usuários interessados em reciclar ou reaproveitar partes desses aparelhos (equipe Seleto).

A vencedora geral do Expin48 foi a equipe Biguá, que projetou um Tampo Ajustável de Encaixe Fácil (TAEF) para bueiros de rua. Uma solução para aliviar a pressão de dentro do bueiro e impedir a saída do tampo, evitando acidentes relacionados a bueiros em dias de chuva ou enchentes. O projeto consiste na adaptação de três hastes para os tampos de bueiro, sendo uma delas móvel para possibilitar o encaixe.

 

Os membros da equipe Biguá contaram um pouco sobre como foi a experiência de imersão: 

⇒ Como foi participar de um evento que uniu alunos do médio/técnico, da graduação e da pós?

Foi uma experiência única. Tanto pelo tempo para elaborar e desenvolver uma ideia quanto para compartilhar os conhecimentos de cada um. Havia momentos em que pensamos que nada daria certo, que nossas ideias não eram inovadoras ou viáveis, assim como tivemos momentos de puro êxtase. Era bom comparecer todos os dias às 9h da manhã na sala D320 para juntos pensar, criar e apresentar. Tudo isso com nossos humildes conhecimentos compartilhados dos três níveis de ensino.

⇒ Qual foi a sensação de sair como equipe vencedora do desafio?

A primeira reação do grupo foi de parabenizarmos uns aos outros, sabíamos as dificuldades que enfrentamos até ali, e cada abraço que demos carregava os momentos mais marcantes do Expin para cada um. Quando anunciaram a equipe Biguá como vencedora da primeira edição do Expin, nossos sorrisos expressavam a satisfação de ter criado algo, de poder, com um produto, amenizar um problema de proporções enormes.

⇒ A equipe pretende levar o projeto adiante?

Estamos conversando sobre isso. Pretendemos seguir elaborando um protótipo que apresente melhor o sistema e normatizar o TAEF, que pode variar para o tipo de bueiro em que se aplica. É um longo caminho a se percorrer, mas agora temos mais tempo para trabalhar na ideia.

 

 

Abaixo, a relação das equipes participantes e a classificação final do desafio:

 

Fim do conteúdo da página