Ir direto para menu de acessibilidade.
Início do conteúdo da página

Projeto do Cefet/RJ que coleta plástico em praias do Rio é finalista de prêmio

Publicado: Sexta, 22 de Novembro de 2019, 08h21 | Última atualização em Segunda, 25 de Novembro de 2019, 09h27 | Acessos: 423

O projeto de extensão do Cefet/RJ campus Maracanã “Menos Plástico é Mais” está entre os 10 projetos selecionados em mais de 1.500 inscritos do Prêmio Prudential Espírito Comunitário 2019, que reconhece iniciativas voluntárias que mudam o mundo. O "Menos Plástico é Mais" será representado na final do evento, no dia 10 de dezembro, pela discente Gabriela Lima Moreira, do curso técnico em Edificações. Os vencedores poderão representar o Brasil em Washington, EUA, ao lado de aproximadamente 120 estudantes voluntários. A edição de 2019 abrangeu iniciativas de todo o país.

 

Visita da equipe do projeto "Menos Plástico é Mais" à Praia de São Conrado

 

O projeto “Menos Plástico é Mais” conta com a orientação das docentes Valéria Pereira e Giselle Correa da Silva, da Coordenação de Química do campus Maracanã, e é desenvolvido desde 2018. Inicialmente formado por um grupo de alunos dos cursos técnicos em Edificações e Meteorologia, está em sua segunda geração, com a equipe original de Edificações contando com alunos novos de Meteorologia e de Telecomunicações. Desde sua criação, e fazendo parte de sua estratégia de sensibilizar a comunidade, realiza visitas a praias do Rio de Janeiro, como Ipanema, Flamengo, São Conrado e Praia da Bica. No dia 11 de dezembro, acontecerá o último mutirão de limpeza deste ano, oportunidade em que a Praia de Copacabana receberá a equipe de estudantes, professores e simpatizantes para a retirada do lixo plástico.

 

Equipe atual do projeto "Menos Plástico é Mais" na Praia da Bica

 

Esse projeto, além das ações externas de coleta, desenvolveu um posto de coleta seletiva de plásticos no Cefet/RJ campus Maracanã, visitou supermercados para avaliar se as embalagens estavam de acordo com as normas técnicas e gerencia o plástico recolhido nas praias e na instituição para processá-lo em seguida. Por não dispor de uma trituradora, fez uma parceria com o Instituto de Macromoléculas (IMA) da UFRJ para triturar o material recolhido e com um projeto de iniciação científica do ensino médio, o ZUPlast, que visa construir uma trituradora, extrusora e impressora 3D para processar e reutilizar o plástico. Com o plástico triturado, iniciou testes de resistência para a sua utilização como aditivo no concreto da construção civil. Além dessas iniciativas, participou do Desafio ONU deste ano, que visou sensibilizar estudantes e suas famílias, assim como da Virada Sustentável 2019. Recentemente, divulgou um abaixo-assinado em suas redes sociais para sensibilizar a Associação de Supermercados do Estado do Rio de Janeiro (ASSERJ) de que as garrafas PET podem servir de moeda de troca nas compras efetuadas. Além disso, está centrado em um trabalho de conscientização de crianças nas escolas municipais sobre o uso e descarte dos resíduos plásticos, já tendo feito, até o momento, duas visitas para tal.

Corpos de prova para teste do uso
de plástico no concreto

 – A coleta e conscientização estão no final do processo do uso do plástico pelo homem, acreditamos que, atuando na base, no caso, nas crianças, teremos o apoio que o mundo precisará para os próximos anos. Por isso, a guinada de ação para somar esforços a outras instituições de ensino – destacou a professora coordenadora do projeto Valéria Pereira.

 

Conheça os 10 finalistas do Prêmio Prudential Espírito Comunitário 2019: https://www.premioprudential.com.br/Paginas/Edi%C3%A7%C3%B5es/2019.aspx

Como contribuir:

O posto de coleta do projeto se localiza no Bloco A do Cefet/RJ campus Maracanã, ao lado da Coordenação de Química.

Fim do conteúdo da página