Ir direto para menu de acessibilidade.
Início do conteúdo da página

Projetos do Cefet/RJ entregam protetores faciais feitos em impressora 3D

Publicado: Sexta, 29 de Maio de 2020, 12h14 | Última atualização em Sexta, 29 de Maio de 2020, 18h10 | Acessos: 1923

O campus Angra dos Reis e o Projeto Grupo Robótica Maracanã (PGRM) do Cefet/RJ iniciaram, nas últimas semanas, a produção de peças para montagem de máscaras de proteção do modelo face shield (escudo facial, em português). Em ambos os projetos, as viseiras estão sendo impressas em impressoras 3D para distribuição a médicos e enfermeiros que estejam na linha de frente de combate à COVID-19.

No campus Angra dos Reis, já foram produzidos e entregues 45 protetores faciais à Secretaria Municipal de Saúde (SMS) de Angra dos Reis e outras 25 unidades à Prefeitura de Paraty, que deve receber mais 98 máscaras nos próximos dias. A impressão das hastes foi feita pelo aluno de Engenharia Mecânica Edmar Moura, utilizando duas impressoras 3D construídas por ele mesmo e pela professora Fernanda Lopes Sá em um projeto de extensão da instituição. A montagem final das máscaras foi realizada com a colaboração do professor Aldo Rosado Fernandes Neto.

 

  

Na 1ª foto, professor Marcus Springer e servidora Daniella Freitas entregam 1º lote de face shields ao superintendente de saúde de Angra dos Reis. Fonte: Site da Prefeitura de Angra dos Reis. Na 2ª foto, entrega do 1º lote de face shields à Secretaria de Saúde e à Defesa Civil de Paraty.

 

Segundo o diretor do campus, Tiago Siman, os protetores obedecem a todos os padrões de fabricação da Resolução RDC nº 356/2020 da Anvisa. O projeto contou com a doação de insumos da loja de materiais elétricos Japonesa Elétrica.

 

  

Professora Fernanda Sá testa máscara face shield


O Projeto Grupo Robótica Maracanã (PGRM) é um grupo formado por alunos do médio/técnico, da graduação e da pós-graduação do campus Maracanã e a iniciativa é coordenada pelo professor João Quadros, em parceria com a PUC-Rio. “Já realizamos a entrega de 34 máscaras para adultos e 4 para crianças. Estamos em contato com o pessoal da PUC-Rio, que recolhe, monta o restante da máscara e distribui aos hospitais públicos do Rio”, explica o professor. 

João Quadros ressaltou, ainda, que o projeto está sendo executado com recursos próprios para compra dos materiais e utiliza a impressora 3D do PGRM adquirida com fomento da FAPERJ. A iniciativa teve a colaboração de Roberto Castro, aluno do Programa de Pós-graduação em Ciências da Computação do Cefet/RJ, Victor Prado, ex-aluno do curso técnico em Informática da instituição, além de outros voluntários, como a empresária Daniela Teixeira e o professor Diego Brandão.

registrado em:
Fim do conteúdo da página