Ir direto para menu de acessibilidade.
Início do conteúdo da página

Trabalho inovador de aluna do campus Petrópolis será apresentado em simpósio internacional

Publicado: Terça, 12 de Janeiro de 2021, 17h26 | Última atualização em Terça, 12 de Janeiro de 2021, 17h29 | Acessos: 350

A trajetória acadêmica de Bruna Karl Rodrigues da Silva impressiona. A aluna do 8º período do curso de Licenciatura em Física do campus Petrópolis tem atuado em projetos e pesquisas desde o início da graduação, em 2016. Bruna já foi voluntária da extensão, bolsista do Programa Institucional de Bolsas de Iniciação à Docência (Pibid), bolsista da Faperj, monitora de Mecânica Básica, bolsista do Programa Institucional de Bolsas de Iniciação Científica (PIBIC) e já fez intercâmbio para Portugal por meio da parceria do Cefet/RJ com o Instituto Politécnico de Bragança. A estudante também escreveu artigos para eventos na área da Física e, no próximo mês, terá mais uma grande conquista: apresentará seu trabalho em um simpósio internacional, o XIX International Organization for Science and Technology Education (IOSTE).

Bruna Karl Rodrigues Silva está envolvida com pesquisa desde 2016, já apresentou artigos em congressos nacionais e atuou também em eventos organizados no campus Petrópolis


Realizado em 2021 de forma remota, devido às medidas de isolamento social, o IOSTE é referência mundial na área de Educação Científica e Tecnológica. Originalmente, seria realizado em agosto de 2020 na Coreia do Sul e foi transferido para os dias 1º a 5 de fevereiro deste ano.  Bruna apresentará o trabalho "A brief theoretical discussion on Post-Truths, Socio-Scientific Controversies, False News and their articulations in Science Teaching", orientado pelo professor João Paulo Fernandes (Cefet/RJ campus Petrópolis) e co-orientado por Ricardo Monteiro (docente do Colégio Estadual Mauá e egresso do campus Petrópolis).

A pesquisa é fruto de um recorte do Trabalho de Conclusão de Curso (TCC) de Bruna, resultante da iniciação científica que a aluna realizou entre 2019-2020. O artigo relaciona os conceitos de controvérsias sociocientíficas, pós-verdades e notícias falsas no ensino de ciências. De acordo com a aluna, as controvérsias científicas seriam advindas de questões sociais, passíveis de diferentes interpretações, carregando consigo fundamentações éticas e morais; as pós-verdades dizem respeito às situações nas quais a emoção e as crenças pessoais são mais relevantes do que os fatos objetivos; e as notícias falsas (fake news) são as informações produzidas por interesses próprios e amplamente divulgadas, sobretudo nas redes sociais.  Bruna afirma que o estudo é relevante no ensino de física, porque “busca atrelar os conhecimentos cotidianos com os conhecimentos científicos, na perspectiva de se formar um aluno mais crítico e participativo na sociedade em que está inserido, em meio às diversas fontes de informação com as quais tem contato diariamente”.

O artigo é inovador uma vez que a temática ainda não foi muito explorada nessa relação com o ensino da física. Bruna declarou estar ansiosa para sua apresentação e destacou que a aprovação de sua pesquisa reforça a importância na área de ensino e, principalmente, a relevância de instituições federais como o Cefet/RJ enquanto fomentadoras nesse processo. “O que podemos perceber nos dias de hoje é um grande ataque a estas instituições, bem como cortes de bolsas, e, cada vez menos, incentivos financeiros para a pesquisa. Então, quando a gente tem um trabalho aprovado, principalmente em um simpósio internacional, é possível mostrar resistência, trabalho e a qualidade profissional que o Cefet/RJ campus Petrópolis e a escola básica têm”, ressaltou.

 

Relação universidade e escola básica

O estudo foi realizado por meio da aproximação entre universidade (campus Petrópolis) e escola básica (Colégio Estadual Mauá). A orientação e o apoio dos professores João Paulo e Ricardo, segundo Bruna, foram fundamentais para o planejamento e o desenvolvimento de ações na escola. “A atuação em sala de aula (...), relacionada com os referenciais teóricos discutidos na universidade, foram de grande valia para minha formação. Posso dizer que me sinto preparada para ingressar no mercado de trabalho e também muito grata por todo apoio recebido durante a pesquisa”, enfatizou Bruna.

O professor e orientador João Paulo Fernandes frisou que o trabalho é fruto de um processo de formação na pesquisa – voltada para o ensino de Física – e possibilitado pela iniciação científica. Ele destacou o empenho e a dedicação da Bruna, assim como a importante parceria com o professor Ricardo Monteiro, que também orientou este e outros artigos escritos pela estudante. “Foram quase dois anos de pesquisa e este foi um dos trabalhos que ela já apresentou, porém este se diferencia, pois os anteriores foram apresentados em congressos nacionais. Foi um trabalho submetido em língua inglesa (o que é mais um desafio) e congrega participantes dos cinco continentes. Certamente Bruna irá trilhar um belo caminho na pesquisa”, concluiu.

Fim do conteúdo da página