Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Extensão
Início do conteúdo da página

Campus Petrópolis - Extensão

Publicado: Quinta, 05 de Novembro de 2015, 16h14 | Última atualização em Sexta, 15 de Julho de 2022, 17h46 | Acessos: 7966

O Cefet/RJ Petrópolis vem desenvolvendo, junto à comunidade petropolitana, atividades de extensão que buscam a proximidade com arranjos produtivos locais e a possibilidade de parcerias. Os projetos e cursos de extensão são desenvolvidos por docentes e alunos vinculados aos cursos de graduação (Licenciatura em Física, Bacharelado em Turismo, Engenharia da Computação e Licenciatura e Matemática) e ao curso técnico em Telecomunicações integrado ao ensino médio.

Em 2022, os Cefet/RJ Petrópolis soma 1 programa e 15 projetos de extensão, sendo um na área de direitos humanos.

 

_____________________________________________

AÇÕES DE EXTENSÃO 2022

 

  • Abrace: tópicos de educação empreendedora em prol da capacitação, formação e desenvolvimento socioeconômico da comunidade externa do Cefet/RJ UnED Petrópolis

Desenvolvido desde 2020, o projeto visa ofertar a educação empreendedora aos diferentes públicos e interessados no tema, para que possam se atualizar e adaptar seus negócios diante aos novos dilemas causados pela pandemia de Covid-19. Buscando compreender as atuais necessidades de adequações e de atividades a serem realizadas, o Abrace pretende abarcar não somente o público estudantil externo do Cefet/RJ Petrópolis, mas os diferentes agrupamentos sociais e empresariais que venham demandar de sensibilizações, capacitações ou ciclos de palestras e debates em prol de adaptações que se venham a impor seja no campo do trabalho e/ou da aprendizagem, amparados pelos diferentes conhecimentos do corpo de servidores (docentes e técnico-administrativos) da instituição.

O projeto se alinha aos objetivos e ações propostas pela Agenda 2030 da ONU (Organização das Nações Unidas), em especial na promoção de ações que possam ir ao encontro dos objetivos: igualdade de gênero, redução das desigualdades, cidades e comunidades sustentáveis, pois esses três eixos acolhem e permitem alargar o olhar para os projetos e ações sociais que acontecem em Petrópolis e possibilitar a esses um espaço de fala, como também de escuta: muitas pessoas, com suas diferentes idades, possuem boas ideias mas podem faltar exemplos e até mesmo iniciativas que ajudem a agregar e promover ações mais justas e solidárias.

Coordenadores: Frederico Oliveira e Renata Mariano

 

  • Cefet Cultural 2022

O Cefet/RJ Petrópolis, como instituição que se pretende promotora da educação integral do ser humano, rechaçando um modelo de ensino tecnicista, pretende promover, dialogar e atrair atividades artístico-culturais que incidam positivamente na formação de seus estudantes do ensino médio integrado, bem como de seus alunos dos cursos de graduação. Dessa forma, o objetivo geral do projeto é estabelecer parceria com duas instituições promotoras de bens culturais na cidade de Petrópolis – como o Instituto de Cultura Casa de Petrópolis e o Cineclube Raul Lopes – de forma a facilitar e promover a participação da comunidade cefetiana nessas atividades, estimulando assim a cultura de consumo de bens culturais por parte de seus estudantes e servidores.

O projeto também pretende articular saberes e expertises das instituições parceiras no sentido de promover eventos culturais na unidade Petrópolis, em especial um cineclube. O projeto busca ainda contribuir para a divulgação da própria instituição na cidade de Petrópolis e também para que a instituição opere como um dinamizador dos bens culturais na região.

Coordenadoras: Alexandra Rocha e Camila Borges

 

  • Cefet/RJ Sustentável 2022: ações da Comissão de Coleta Seletiva Solidária (CCSS) da Uned Petrópolis

Criada em 2016, Comissão de Coleta Seletiva Solidária (CCSS) do Cefet/Rj Petrópolis tem como eixo norteador promover atividades e ações sustentáveis, unindo educação, desenvolvimento e práticas de forma participativa. Dando ênfase à promoção da educação ambiental, a CCSS foca na utilização adequada dos recursos materiais (incluindo os hídricos e elétricos), na aprendizagem e no manejo do material reciclável, promovendo também, de forma gradual, a conscientização quanto à sua redução, ao seu reaproveitamento e à sua reciclagem e envolvendo a comunidade em todas as etapas do processo. A tarefa da comissão é educar, intermediar e trabalhar a conscientização para novos padrões, iniciando uma longa caminhada rumo à sustentabilidade. 

Durante o período da pandemia, a CCSS focou na divulgação de informações e na realização de eventos virtuais, utilizando para isso os recursos disponibilizados pela instituição além das redes sociais (facebook e instagram). Para 2022, o projeto planeja eventos remotos, presenciais e híbridos, nesta perspectiva o projeto realizará atividades de sensibilização e capacitação para os servidores e discentes da unidade, além do público externo.

Coordenadoras: Alexandra Rocha e Luciana Castro

 

  • Conexão Cefet/RJ – Petrópolis (Programa de extensão)

O programa trabalha de forma engajada a imagem do Cefet/RJ Petrópolis, buscando fortalecer o senso de pertencimento à instituição por parte de sua comunidade, tão essencial para reverberar interna e externamente. A partir de um planejamento que destaque sua identidade como instituição pública, gratuita e de alta qualidade educacional, o programa pretende maximizar as informações a respeito da unidade e estimular a conexão (e o engajamento) de alunos e servidores.

O programa potencializa a divulgação dos cursos da instituição para a comunidade petropolitana e do entorno por meio de ações direcionadas para as escolas públicas e privadas e para a imprensa local, e por uma atuação mais presente nas mídias sociais da unidade, que são: Instagram e Facebook (@cefetcampuspetropolis) e Youtube (Cefet campus Petrópolis). A divulgação interna deve ser também incluída neste programa, uma vez que servidores e alunos são porta-vozes da instituição e, portanto, desempenham papel relevante na distribuição e na circulação de informações da uned Petrópolis. 

O programa reúne dois projetos de extensão: “Conhecendo os limites do nosso corpo e o Cefet-RJ Petrópolis” e “De grau em grau: apresentando o ensino superior do Cefet/RJ Petrópolis”.  

Coordenadoras: Letícia Hermont e Camila Borges

 

  • Conhecendo os limites do nosso corpo e o Cefet-RJ Petrópolis

Integrando o Programa Conexão, o projeto tem como intuito levar o conhecimento do curso técnico em Telecomunicações integrado ao ensino médio aos discentes de 9º ano da rede municipal e particular de Petrópolis, assim como a comunidade circunvizinha do Cefet/RJ Petrópolis. Ao ser desenvolvido a partir da disciplina de Educação Física, que possui um papel motivador intrínseco, o projeto busca reforçar o conteúdo saúde presente nas aulas de Educação Física e, assim, adentrar ao campo da conscientização de manter uma atividade física regular.

Ambientar os discentes do 9º ano com a infraestrutura do Cefet/RJ Petrópolis através de uma breve palestra e visita às dependências da unidade são meios de comunicação entre comunidade e instituição.

Coordenadores: Marcelo Porretti e Camila Borges

 

  • Conhecimento para Profissionais do Futuro

 À medida que a sociedade se transforma, novas demandas de conhecimento surgem e passam a ser cobradas das pessoas que buscam ingressar, se manter ou mesmo se recolocar no mercado de trabalho (BRANDÃO, 2010). Por mais que o uso de computadores, smartphones, programas de comunicação e softwares, entre outros, seja visto como algo natural para muitas pessoas, ainda há um grande número de indivíduos que possuem baixo, ou nenhum, domínio dessas ferramentas.

Dessa forma, o objetivo deste projeto é ofertar conhecimento profissional, que seja valioso para conquistar oportunidades de trabalho, às pessoas que mais necessitam deste tipo de saber.
Alguns exemplos de conhecimento profissional que se deseja ofertar neste projeto são: conhecimento do pacote Office (e similares) em nível básico, intermediário e avançado; conhecimento de práticas em inteligência emocional; preparação para entrevistas de emprego; preparação para dinâmicas de grupo; elaboração de currículo profissional; entre outros saberes.

Coordenador: Marcelo Mascarenhas

 

  • De grau em grau: apresentando o ensino superior do Cefet/RJ Petrópolis

O projeto, que integra o Programa Conexão, busca dar maior visibilidade à unidade do Cefet/RJ Petrópolis e aos seus cursos superiores na cidade e no entorno, a fim de promover o ingresso de estudantes e de contribuir para a construção da imagem institucional e seu fortalecimento identitário.

Assim, a iniciativa pretende apresentar seus quatro cursos de graduação utilizando estratégias do marketing educacional, como também estratégias de comunicação voltadas ao campo educacional, corroborando para que a instituição chegue efetivamente ao seu público. Apresentar cada um dos cursos e suas especificidades, desde suas características mais estruturais, como também apresentar o perfil desses cursos, suas atuações, mercados, projetos de pesquisa, ações de ensino e extensão, as possibilidades de itinerários formativos existentes, além de promover o diálogo entre os alunos efetivos e os alunos em potencial e a comunidade em geral é o grande mote para este trabalho de extensão. Pretende-se também, a partir da apresentação dos cursos à comunidade, contribuir para identificação dos alunos com os cursos escolhidos, a fim de combater a evasão causada pelo não conhecimento adequado sobre ele.

Coordenadoras: Jarlene Reis e Letícia Hermont

 

  • Diálogos com o Napne Petrópolis: saberes acerca de estudantes com Altas Habilidades II

 

Desenvolvido pelo Núcleo de Apoio às Pessoas com Necessidades Específicas (Napne) do Cefet/RJ Petrópolis, o projeto entra em seu segundo ano debruçado na temática Altas Habilidades. A iniciativa visa aproximar os diferentes sujeitos acadêmicos – docentes, técnicos-administrativos, alunos e a comunidade externa – por meio de ações de sensibilização e formação e conta, em 2022, com alternativas de atendimento e suplementação para estes alunos, tecendo relações entre o ensino comum e o atendimento educacional especializado.

As ações são caracterizadas por atividades de cunho teórico-crítico, tais como grupos de estudo, palestras, seminários, rodas de conversa, cursos, minicursos, exposições interativas, dinâmicas, entre outros, voltadas às questões de inclusão social e educacional, com ênfase no público-alvo da educação especial (especificamente, neste projeto, estudantes com altas habilidades). O projeto tem como base interações dialógicas capazes de fazer com que os envolvidos nas atividades sejam multiplicadores e agentes das possíveis transformações sociais e educacionais necessárias à consolidação e democratização da inclusão.  

Coordenador: Rogério Wanis e Daphne Holzer

 

  • Educação Ambiental na escola: desenvolvendo práticas sustentáveis no município de Petrópolis

A Educação Ambiental (EA) é uma ferramenta primordial para se alcançar o almejado desenvolvimento sustentável, sendo base para todas as ações a serem promovidas pelo projeto. Partindo do pressuposto que a EA é um processo permanente e necessita de uma práxis coletiva, um trabalho consistente na educação básica se faz mister na busca da sustentabilidade ambiental. O contexto escolar é propício para a prática interdisciplinar, propiciando a quebra do paradigma cartesiano em virtude de um paradigma ecológico e participativo. Dessa forma, o projeto visa tornar a educação ambiental uma prática cotidiana das escolas de forma transversal no currículo dos alunos.

Em virtude da pandemia, a iniciativa trabalhou conteúdos nas redes sociais Instagram e Facebook nos últimos dois anos, como forma de disponibilizar o legado do trabalho anteriormente realizado presencialmente a todo público. Para 2022, pretende continuar com a produção de materiais e as postagens nas redes e aplicar as atividades produzidas em 2021 (como uma cartilha e jogos eletrônicos) presencialmente nas escolas a serem contempladas pelo projeto.

Coordenadoras: Suzana Campos e Luciana Castro

 

  • Estratégias para o Ensino de Física e Matemática no cenário de pós-pandemia

O surto pandêmico causado pelo vírus SARS-CoV-2, causador da Covid-19, alterou significativamente os processos de ensino e aprendizagem que ocorriam rotineiramente em todo o mundo antes de 2020. Embora pesquisas em todo o mundo tenham examinado as implicações psicológicas do fechamento de escolas e do aprendizado online para os alunos, os efeitos de curto e longo prazo da pandemia da Covid-19 no desempenho dos alunos ainda são incertos (AGUIAR, C. E. et al.; BROWNING, M. H. et. al; DIMOSTHENOUS, A. et al.).

Ao investigar esses efeitos, vários fatores devem ser considerados, pois não apenas alunos, mas também professores e diretores tiveram que se adaptar a novas situações de ensino e aprendizagem decorrentes de restrições pandêmicas com pouco ou nenhum aviso prévio. É impossível mensurar todas as consequências dessa pandemia no aprendizado, mas é possível dizer que, certamente, elas existem em várias proporções, em todas as áreas do conhecimento. Neste projeto, a atenção está voltada para as disciplinas de matemática e física.

 O objetivo do projeto é de entender a dimensão do desafio que encontraremos e como mitigá-lo. Acredita-se que a vida da maioria dos estudantes, de alguma forma, foi afetada, em uma ou mais esferas, seja na educacional, na social ou na econômica, sendo imperativo prever e recorrer de estratégias para o enfrentamento dos desafios oriundos do período pandêmico.

Coordenadores: Fábio Alex dos Santos e Marcelo Salomão

 

  • Expedições do Cefet/RJ Petrópolis

O projeto busca estudar e apresentar a geodiversidade, biodiversidade e sociodiversidade de percursos em trilhas e áreas protegidas a partir da interpretação ambiental e práticas corporais de aventura, desenvolvendo com seus participantes questões referentes ao paradigma ecológico atual através da integração de áreas da ecologia, geografia, saúde e práticas de atividade física, dentre outras. 

Cadastrado oficialmente desde 2016, o projeto tem novamente o desafio de envolver escolas municipais 2022 com a retomada das atividades presenciais, fortalecendo a inserção do Cefet/RJ Petrópolis nas questões educacionais do município, além da visibilidade que pode ser dada ao nosso processo seletivo para o curso técnico integrado ao ensino médio.

As atividades do "Expedições" possibilitaram a representação do Cefet/RJ UnED Petrópolis no conselho consultivo de três unidades de conservação: Parque Nacional da Serra dos Órgãos; Refúgio de Vida Silvestre Estadual da Serra da Estrela e Reserva Biológica Estadual de Araras. Em parceria com essas áreas protegidas, desenvolve-se as atividades de educação e interpretação ambiental com os alunos de escolas municipais e também da nossa unidade.


Coordenadores: Fernando Pessoa e Marcelo Salomão

 

  • Ladrilhar: percursos inclusivos pelo Cefet/RJ UnED Petrópolis Direitos Humanos

O projeto consiste na realização de um plano de interpretação do patrimônio relacionado ao prédio do Cefet/RJ Uned Petrópolis, tendo como principal objetivo o desenvolvimento de estratégias para mediação inclusiva, dentre elas, as tecnologias assistivas, e como principal ação, visitas mediadas ao complexo, atendendo ao público em sua diversidade.

Iniciado em 2020, o projeto une profissionais de diversas áreas, articulando esforços para criar ações tecnológicas de interpretação desse patrimônio histórico e arquitetônico, inclusivas e acessíveis, com vistas a sensibilizar a sociedade para a valorização da diversidade e do direito ao acesso aos bens culturais como prática social cidadã.

Coordenadora: Ludmila Almendra

 

  • Leia Mulheres: Mediação de leitura

O coletivo Leia Mulheres se iniciou como um movimento on-line, criado pela escritora britânica Joanna Walsh em 2014, e se popularizou no Brasil na forma de clube de leitura. Em Petrópolis, o Leia Mulheres, sob a mediação de Linda Feitoza e Drica Madeura, vem acontecendo desde 2017 e, em 2019, o coletivo iniciou uma parceria com o Cefet/RJ Petrópolis por meio deste projeto de extensão.

Os encontros, que passaram a ser on-line desde 2020, pretendem favorecer a leitura e a troca de ideias sobre livros produzidos por mulheres, claramente em defasagem no mercado editorial nacional. A dinâmica da edição 2022, assim com as edições anteriores, será bastante democrática, admitindo-se a participação daqueles que leram, leram parcialmente, ou não leram os títulos definidos para os encontros. A definição dos livros é feita por votação a partir de uma lista de títulos sugeridos pelo grupo e que atendam aos requisitos de relevância estabelecidos pelas mediadoras.

Coordenadoras: Elisabeth Gonçalves e Luciana Castro

 

  • No Batuque das Águas do Caxambu: gestão participativa em Petrópolis/RJ

O turismo passa por processo de transformação sendo reconhecido como um fenômeno social, educacional, político, cultural, ambiental e econômico. Para melhor valorizá-lo, direcioná-lo e implantá-lo como uma atividade de caráter socioeconômica e cultural com vistas à minimização de impactos negativos e otimização de relações e resultados positivos, a participação e o apoio da comunidade residente são práticas necessárias para preservação histórico-cultural-ambiental.

Em sua quinta edição, o projeto propõe promover a sensibilização, a formação e a mobilização de professores, alunos do ensino básico e superior, e demais representantes das comunidades em Petrópolis/RJ, aptos a desenvolver processos comunicativos e educativos junto aos grupos sociais a que pertencem e se relacionam. Busca-se também a valorização e a preservação do patrimônio cultural em amplo sentido, assim como de gestão do meio ambiente em sua biodiversidade, contribuindo para a conservação ambiental, o exercício da cidadania e a qualidade de vida de todos envolvidos por meio de curso formativo para docentes, roteiros históricos guiados para jovens e agentes multiplicadores no Centro Histórico e ações isoladas comunitárias nos bairros do Caxambu, Morin e Itamarati, vizinhos do Parque Nacional da Serra dos Órgãos.

Coordenadora: Patrícia Souza Lima

 

  • Observatório de Dados sobre Turismo

Durante o avançar do século XXI, a atividade turística passou a ganhar fluxos (de pessoas, meios de transporte, circulação de capital etc.) extremamente grandiosos em todo o mundo. Parte deste movimento também se fez presente no Brasil, especialmente após 2003, quando foi criado o então Ministério do Turismo. Desde então, esta atividade social e econômica passou a ter mais status e importância na agenda política nacional, que obviamente se desdobra por estados e municípios.

O objetivo deste projeto é ser um Hub de dados e informações sobre turismo. Após a coleta de dados, e o processamento de informações dispersas e pouco acessíveis em diversas fontes, o Observatório de Dados sobre Turismo pretende agrupar e exibir, de forma didática e acessível, todo este conteúdo para qualquer pessoa e/ou organização interessada neste setor.

Coordenador: Marcelo Mascarenhas

 

  • Paradigmas Indiciários: Histórias de Famílias, Histórias de Petrópolis

O projeto tem como proposta desvelar uma identidade visível nas ruas de Petrópolis, pautada na diversidade de seu povo, em que, muito mais que um passado de glórias imperiais e presidenciais, oculta a história das famílias que constroem e fazem da "cidade imperial" um local de memórias, dos mais variados matizes, dos mais variados sentidos.

O projeto será baseado no recolhimento de documentos de famílias, fotos, certidões de batismo, certificados, registros de identidade, carteiras de identidades, títulos de eleitor, entre outros, de vários momentos históricos. O material recolhido será catalogado, tratado e contextualizado, a fim de fazer parte de uma exposição, que não se propõe em escrever a história da cidade, mas em demonstrar, como ela foi e é formada.

Coordenadora: Nara Santana

registrado em:
Fim do conteúdo da página