Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Informativo Eletrônico > Informativo Eletrônico - Dezembro de 2015 / Janeiro de 2016
Início do conteúdo da página

Informativo Eletrônico - Dezembro de 2015 / Janeiro de 2016

Publicado: Quinta, 18 de Fevereiro de 2016, 15h20 | Última atualização em Segunda, 31 de Outubro de 2016, 15h05 | Acessos: 5036
 
Nº 12 | DEZEMBRO DE 2015 / JANEIRO DE 2016
 

 



Cursos conquistam excelência no Enade

Licenciaturas em Física dos campi Petrópolis e Nova Friburgo obtiveram nota cinco no exame
Licenciaturas em Física dos campi Petrópolis e Nova Friburgo obtiveram nota cinco no exame

 


As licenciaturas em Física dos campi Petrópolis e Nova Friburgo são consideradas de excelência, segundo os parâmetros do Exame Nacional de Desempenho dos Estudantes (Enade). Na mais recente avaliação das áreas de Ciências Exatas, Licenciaturas e afins, os cursos conquistaram a nota máxima, cinco. Essa foi a primeira vez que ambos se submeteram ao exame. Além das licenciaturas, dois bacharelados também estrearam no Enade com bom desempenho. Os cursos de Engenharia Civil do campus Maracanã e de Engenharia Mecânica do campus Itaguaí obtiveram nota quatro.

Para a diretora de Ensino, Gisele Vieira, o resultado demonstra que “os novos cursos nasceram com qualidade, prontos para se consolidar”. Gisele enfatiza que “três deles são oferecidos no interior, fazendo a diferença para a região”.

Mais oito cursos do Cefet/RJ realizaram a última edição do Enade. Sete obtiveram conceito três e um, conceito quatro. “Temos que nos orgulhar de todos osresultados, pois todos os cursos da instituição conquistaram conceitos qualificados como suficientes pelo Ministério da Educação (MEC). Nenhum obteve desempenho considerado inferior”, afirma a diretora de ensino.

O Enade visa à avaliação do desempenho dos estudantes em relação aos conteúdos programáticos previstos nas diretrizes curriculares e às habilidades e competências requeridas pela área de formação. A avaliação fornece, ao mesmo tempo, um diagnóstico do curso e de seus futuros profissionais.

“Para o Cefet/RJ e para o curso, o resultado representa a qualidade do ensino oferecido à comunidade. Para os alunos, a avaliação externa mostra, em certo nível, o domínio adquirido sobre os conhecimentos de sua área de atuação”, afirma o coordenador da licenciatura em Física do campus Nova Friburgo, Washington Raposo.

O coordenador da licenciatura em Física do campus Petrópolis, Daniel Micha, destaca a importância do trabalho diferenciado realizado pelo corpo docente do curso para a obtenção do resultado. “Os professores têm a consciência e a preocupação constante de trazer algo a mais para suas aulas, algo que fuja do tradicional. Eles sabem a importância do exemplo na formação de professores de alta qualidade e com pensamento crítico em nosso país.”

As notas são referentes ao Enade 2014 e foram divulgadas no final de dezembro de 2015. O exame compõe o Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior (Sinaes), junto com a Avaliação de Cursos de Graduação e a Avaliação Institucional. Os três instrumentos permitem conhecer o modo de funcionamento e aferir a qualidade dos cursos e das instituições de educação superior do país.

 

 

 

Aluna do ensino técnico publicará artigo em revista internacional

O periódico Signal Processing divulgará análise teórica inovadora desenvolvida pela estudante Karen Olinto, do curso técnico em Telecomunicações
 O periódico Signal Processing divulgará análise teórica inovadora desenvolvida pela estudante Karen Olinto, do curso técnico em Telecomunicações






A recém-formada aluna do curso técnico em Telecomunicações do campus Nova Iguaçu Karen Olinto publicará os resultados da pesquisa que desenvolveu na área de processamento de sinais em uma revista internacional com a mais alta qualificação da Capes em Engenharia Elétrica. O periódico Signal Processing, classificado como pertencente ao estrato Qualis A1 nesta área do conhecimento, aceitou para publicação o artigo “Transient Analysis of l0-LMS and l0-NLMS Algorithms”,assinado pela estudante, como autora principal, junto com os professores orientadores Diego Haddad, do Cefet/RJ, e Mariane Petraglia, da UFRJ. O trabalho propõe uma análise teórica inovadora do processo de aprendizagem dos algoritmos l0-LMS e l0-NLMS, utilizados na identificação de sistemas esparsos, como os encontrados em canais de TV digital.

“Canais de transmissão de sinais diversos, como os encontrados na TV digital, apresentam uma característica notadamente esparsa. A identificação desses canais é uma etapa fundamental para a comunicação efetiva em sistemas digitais, bem como para o cancelamento de eco acústico em sistemas viva-voz. Os algoritmos analisados pretendem acelerar a identificação desses canais. O modelo que a aluna desenvolveu é importante porque consegue prever com acurácia diversas características do processo de aprendizagem desses algoritmos, servindo como uma espécie de guia na implementação dos algoritmos”, explica o professor Diego Haddad.

De acordo com o docente, a pesquisa partiu de hipóteses mais fracas do que as previamente encontradas na literatura, demandando, por isso, um sofisticado ferramental matemático. O modelo proposto unifica a análise dos algoritmos l0-LMS e l0-NLMS e contempla as duas métricas utilizadas na aferição de desempenho de ambos, conhecidas como MSE e MSD. As contribuições inéditas incluem, ainda, a previsão de comportamentos contra intuitivos no aprendizado dos algoritmos, confirmados por experimentos computacionais.

A estudante Karen Olinto, autora principal do artigo
A estudante Karen Olinto, autora principal do artigo

 

 

 

 

 


A pesquisa começou a ser desenvolvida em 2013, assim que Karen ingressou no curso técnico. O embasamento teórico foi adquirido em aulas extracurriculares e personalizadas sobre conteúdos relacionados à área, tais como cálculo, sinais e sistemas, filtragem adaptativa, processos estocásticos, MATLAB e LaTeX. Os estudos eram realizados, geralmente, no turno em que não havia aulas do ensino técnico, mas também se estendiam por momentos de lazer, como finais de semana e férias. A rotina, por vezes, foi desgastante para a adolescente, especialmente no terceiro ano, quando se somou à preparação para o Enem. Mas a motivação sempre foi maior. “Tenho um fascínio pelo estudo”, revela.

Karen considera a publicação “um presente, um primeiro passo, um incentivo para continuar trilhando esse caminho”. A estudante, recém-aprovada no curso de Engenharia Eletrônica e de Computação da UFRJ, acredita que poderá “ajudar a abrir novas fronteiras, talvez abrir novas portas para áreas de pesquisa diversas, como medicina e nanotecnologia”. A adolescente de 17 anos ainda não decidiu se seguirá carreira acadêmica, mas quer continuar a contribuir para o desenvolvimento científico. “Saber que posso projetar novas tecnologias me instiga.”

 

 

Protótipos são premiados com bolsas do CNPq

A premiação foi conferida a duas equipes do Projeto Turing, na Mostra Nacional de Robótica

 

 


Dois protótipos desenvolvidos pelo Projeto Turing serão aprimorados com o auxílio do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq). Os alunos envolvidos na criação da “Lubras – Interface para a Comunicação Libras / Língua Portuguesa” e do “Banheiro Econômico em Água e Eletricidade Aplicando Automação” receberão bolsas da instituição de fomento à pesquisa, como parte da premiação da Mostra Nacional de Robótica 2015. O prêmio também inclui a participação na Mostra Presencial de Robótica 2016, com custeio de despesas.

A Lubras foi concebida como uma interface para possibilitar a comunicação básica entre usuários da língua portuguesa e da língua brasileira de sinais (Libras). O dispositivo adota como referência apenas o alfabeto em Libras, pois este não requer o complemento de expressões faciais e o conhecimento de “gírias” regionais. Inicialmente, o protótipo era composto por um software e uma luva eletrônica. No software, o usuário informava um texto em português e este era convertido em sinais elétricos que indicavam, por intermédio de leds coloridos instalados na luva, o movimento a ser feito em Libras. Contudo, uma questão logo se impôs: como a pessoa com deficiência responderia? Surgiu, então, a ideia de criar uma segunda luva, para converter os sinais em libras para o português e exibi-los no software. A nova luva encontra-se em fase de implementação.

A luva para a comunicação Libras–Português (Lubras) será um dos protótipos contemplados

 



Finalizada essa estrutura básica, novas funcionalidades serão agregadas ao protótipo. Ambas as luvas serão conectadas a um sistema de voz, para a transmissão sonora. Na comunicação português–Libras, o sistema identificará e converterá a fala do usuário em sinais luminosos, indicando na luva a sequência que deve ser feita na língua de sinais. Na comunicação Libras-português, os sinais em Libras feitos pela pessoa com deficiência serão decodificados na forma de som. Além da inclusão dos recursos de áudio, serão adicionados botões para otimizar a comunicação e será realizada a compactação das luvas, camuflando fios e outros componentes eletrônicos atualmente expostos.

Um dos idealizadores do projeto, o aluno do curso técnico em Automação Industrial do campus Maria da Graça Yuri da Silva considera gratificante ter a oportunidade de contribuir para a inclusão social. “Sinto-me privilegiado por usar a tecnologia que aprendi para ajudar outras pessoas”, afirma. Quanto à premiação, o estudante e membro da equipe de desenvolvimento Vinicius de Jesus destaca que ela foi resultado de um trabalho intenso. “Tivemos que trabalhar muito, inclusive nas férias do meio do ano, para construir o primeiro protótipo.”

A maquete inicial do banheiro econômico, construída em madeira, prevê um sistema de fornecimento de água composto por uma caixa convencional e um reservatório para a captação de chuva. O volume dos depósitos de água é monitorado por boias de nível eletrônicas, desenvolvidas especificamente para esse fim. Um terceiro recipiente, situado abaixo do boxe, capta a água do banho para uso no vaso sanitário. Todas as fontes são interligadas eletronicamente a uma placa de controle central. Quando ocorre consumo de água, o sistema prioriza o uso das fontes alternativas. O fornecimento de eletricidade, por sua vez, é feito por um sistema integrado pela rede elétrica convencional e por uma bateria, carregada por fontes limpas como a energia solar. Componentes eletrônicos controlam a escolha da fonte de energia, priorizando o consumo da bateria. O funcionamento do sistema é exibido ao usuário por uma interface computacional, que simula todas as tarefas (iluminação, uso da descarga, chuveiro) e exibe, em tempo real, o nível dos dois principais reservatórios de água.

Na segunda versão, serão implementadas melhorias técnicas e estruturais para tornar o protótipo mais independente e inovador. A inclusão de um sistema bluetooth de captação remota de dados, associado a um aplicativo desenvolvido para sistema operacional Android, permitirá ao usuário monitorar, via celular, informações sobre consumo e economia de energia, tais como: estimativa da quantidade de água e eletricidade economizados em um período pré-determinado; quantidades de energia e água pluvial armazenadas em tempo real e simulação da economia proporcionada pela utilização de recursos alternativos. Como aperfeiçoamento do projeto, também será feitaa substituição da plataforma Arduino por uma placa de circuito impresso desenvolvida especificamente para o projeto.

Responsável pelo desenvolvimento do protótipo inicial, o aluno do curso de Automação Industrial do campus Maria da Graça Fabian Manoel sente-se muito motivado com o resultado. “Às vezes não reconhecemos a proporção do que fazemos, até que as coisas sejam vistas de fora”, afirma. Além de Fabian, a aluna do terceiro ano do curso Palloma Nunes também receberá bolsa do CNPq para o desenvolvimento da nova fase do projeto.

 

Projeto Turing

Criado em 2012, o Projeto Turing consiste em uma atividade de extensão e, atualmente, integra três campi do Cefet/RJ: Maria da Graça, Nova Iguaçu e Nova Friburgo. As contribuições do projeto aos alunos incluem capacitação, apoio técnico docente e fornecimento de materiais de informática e eletrônica para o desenvolvimento de protótipos.

Na avaliação do responsável pelo Projeto Turing no campus Maria da Graça, professor Carlos Eduardo Pantoja, os prêmios conquistados “ressaltam a projeção da nossa instituição em eventos nacionais na área de Automação, Informática e Robótica”. O docente também enfatiza que a participação em eventos dessa natureza é uma experiência enriquecedora para os alunos, por permitir a troca de conhecimentos com equipes de projetos de outras instituições do país.

 

 

Cefet/RJ sediou conferência luso-brasileira

Abertura da III Conferência Luso-Brasileira de Adesão e Adesivos (CLBA 2016)

Pesquisadores brasileiros e portugueses que se dedicam ao estudo do fenômeno da adesão e dos materiais adesivos reuniram-se, no Cefet/RJ, para participar da III Conferência Luso-Brasileira de Adesão e Adesivos (CLBA 2016). O evento, organizado pela Associação Brasileira de Adesão e Adesivos e pela Associação Portuguesa de Adesão e Adesivos, foi realizado entre os dias 25 e 27 de janeiro.

Esta é a segunda vez que a conferência ocorre no Brasil e a primeira em um ambiente acadêmico nacional. De acordo com o organizador do evento e presidente da Associação Brasileira de Adesão e Adesivos, Silvio de Barros, “o Cefet/RJ vem concedendo forte apoio à conferência desde a primeira edição, em 2012”. Além disso, a instituição possui um envolvimento ativo com a associação brasileira. Além do presidente, o primeiro-secretário e o primeiro-tesoureiro da atual gestão da entidade também são docentes do Centro Federal.

Durante a conferência, foram apresentados 50 trabalhos, entre pôsteres e comunicações orais. Todos os artigos escritos em inglês e adequados aos padrões de qualidade especificados serão publicados em edições especiais das revistas internacionais The Journal of Adhesion e Applied Adhesion Science.

A conferência luso-brasileira ocorre a cada dois anos, alternadamente no Brasil e em Portugal. A primeira edição foi realizada em 2012, também no Rio de Janeiro. Em 2014, o evento foi sediado pela Universidade do Porto, em Portugal.

 

 


Expediente:

Direção-Geral:
Carlos Henrique Figueiredo Alves

Vice-Direção:
Maurício Saldanha Motta

Editor Responsável:
Mariana Thereza Pereira Sant’Anna – Mtb 22.457

Redação:
Gláucia da Silva Mendes Moraes – Mtb 14.440

Revisão:
Natasha Juliana Mascarenhas Pereira Lago

Planejamento Editorial:
Isabela Eugenio Almeida – Conrerp 3824
Marilda Barroso Bottino – Conrerp 2690

Programação Web:
André da Silva Barbosa

Projeto Gráfico/Diagramação:
Fernando da Silveira Bracet
Isabela Menezes da Silva Devonish

Fotografia:
Divisão de Comunicação Social

Redação do Informativo:
Av. Maracanã, 229 – Bloco E – 1º andar
Maracanã – Rio de Janeiro – CEP: 20271-110
Telefones: (21) 2568-2016
(21) 2566-2169
(21) 2566-3071
Site: http://www.cefet-rj.br
E-mail: dicom
@cefet-rj.br
registrado em:
Fim do conteúdo da página