Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Notícias > Experimento de alunos do Cefet/RJ é selecionado para ser enviado à estratosfera
Início do conteúdo da página

Experimento de alunos do Cefet/RJ é selecionado para ser enviado à estratosfera

Publicado: Sexta, 30 de Agosto de 2019, 14h36 | Última atualização em Segunda, 02 de Setembro de 2019, 10h00 | Acessos: 3171

O professor Wilber Alves e os alunos Marcus Sá, Daniel Sánchez, Thiago Monteiro, Kaio Alvim e Cesar Amado

A equipe Cefet/RJ-Bio, formada por cinco alunos do 3º ano do curso técnico em Mecânica do campus Maracanã, foi uma das selecionadas para enviar um experimento em um balão estratosférico contendo projetos científicos de jovens de escolas públicas e particulares de todo o Brasil. O envio será feito durante o evento chamado Sábado Aeroespacial, na cidade de São Carlos (SP), e marca o encerramento do projeto Garatéa Educacional (Garatéa-E), organizado pelo grupo Zenith Aerospace, uma iniciativa da Escola de Engenharia de São Carlos, da USP.

Em sua terceira edição, o Garatea-E é um projeto sem fins lucrativos que busca disseminar o ensino de ciência e engenharia aeroespacial, desafiando estudantes do ensino fundamental e do ensino médio a desenvolverem seus próprios experimentos científicos, com a ajuda de professores. Durante o primeiro semestre de 2019, grupos de até 15 alunos criaram projetos sob a temática “explorando Marte”.

O projeto da equipe do Cefet/RJ é coordenado pelo professor Wilber Alves e ficou entre os 33 selecionados para voo no balão. O experimento tem foco em astrobiologia e os alunos vão analisar como uma das bactérias fixadoras de nitrogênio (Ensifer meliloti) se comporta nas condições estratosféricas terrestres (temperaturas baixas, pressão igual a zero e sem proteção da camada de ozônio), que são similares às encontradas na superfície de Marte.

O professor Wilber explica a importância do experimento. “Essa é uma bactéria que participa de uma das etapas do ciclo do nitrogênio, um elemento tão importante que mais de 70% da nossa atmosfera é composta por ele. Então, um dos focos do projeto é conseguir analisar o comportamento desse microrganismo para estudar como garantir condições mínimas de habitabilidade em Marte, uma vez que as condições climáticas da estratosfera simulam as da superfície do planeta”.

O aluno Cesar Augusto Amado, do 3º ano do curso técnico em Mecânica fala sobre a empolgação de ver o experimento desenvolvido pela equipe ser enviado à estratosfera. “Há três meses estamos trabalhando nesse projeto. Quando chegou a notícia da aprovação, nós ficamos muito empolgados. Para mim, esse projeto é um exemplo da mudança do processo educacional do Cefet. Vejo alunos de mecânica aprendendo eletrônica e administração. Isso é muito importante e engrandecedor”.

 

Do Laboratório de Biologia para a estratosfera

O envio das colônias de bactérias será feito em um balão meteorológico que vai carregar uma sonda contendo os experimentos do Cefet/RJ e das outras escolas, podendo atingir até 30 km da superfície terrestre. Todas as etapas pré-voo, como o cultivo das bactérias e a impregnação nas pérolas de cerâmica, foram feitas pelos alunos no Laboratório de Biologia do Cefet/RJ.

Além disso, os alunos construíram uma estufa para a análise da sobrevivência das bactérias em plantas após o retorno da estratosfera. “Estamos esperançosos com o que pode acontecer com a bactéria. Ela pode simplesmente morrer, não sofrer nenhuma mudança ou sofrer mudanças importantes que nós vamos analisar depois, através de inoculação na planta”, explica o aluno Cesar Augusto Amado.

 

Estufa de madeira com iluminação de LED construída pelos alunos e tubo contendo a bactéria Ensifer meliloti, semelhante ao que será enviado no balão

 

Para o professor Wilber Alves, ter a oportunidade de desenvolver um projeto para ser levado à estratosfera é uma chance para integrar os estudos de sala de aula com a prática. “Esse projeto é a cara do Cefet/RJ. Se mais professores puderem participar nas próximas edições, integrando suas disciplinas à temática do evento, seja elas do técnico ou do ensino básico, é uma oportunidade única. Fico feliz de ver que já na primeira participação o Cefet/RJ teve um resultado tão bom”, comemora o professor.

A data do lançamento do balão será definida em breve, conforme a autorização da aeronáutica e as condições climáticas na cidade de São Carlos (SP), onde será o evento. Os resultados do experimento da equipe Cefet/RJ-Bio serão apresentados na Expotec Rio’2019 durante a Semana de Ensino, Pesquisa e Extensão (Sepex) 2019, de 21 a 27 de outubro, no campus Maracanã.

Fim do conteúdo da página