Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Notícias > Cefet/RJ tem quatro projetos finalistas na Feira Brasileira de Jovens Cientistas
Início do conteúdo da página

Cefet/RJ tem quatro projetos finalistas na Feira Brasileira de Jovens Cientistas

Publicado: Quarta, 24 de Junho de 2020, 13h23 | Última atualização em Quinta, 25 de Junho de 2020, 14h30 | Acessos: 2383

Com a proposta de conectar estudantes e valorizar projetos inovadores, inicia nesta sexta feira (26) a Feira Brasileira de Jovens Cientistas (FBJC). O evento reúne alunos do Ensino Médio e será realizado até domingo (28), exclusivamente on-line, para os estudantes que se inscreveram até 22 de maio. Quatro trabalhos do Cefet/RJ estão selecionados para a fase final da competição e serão avaliados pelos organizadores por relevância, impacto, criatividade e inovação. Além de receber medalhas e prêmios em dinheiro, os vencedores irão integrar a delegação brasileira na Conferência Internacional de Jovens Cientistas, que acontecerá na Grécia, em 2021.

Nesta primeira edição, a FBJC terá palestras, workshops, atividades culturas e a apresentação dos projetos finalistas. O Cefet/RJ marcará presença com dois projetos na área de Ciências Exatas e da Terra, que propõem a produção de impressora com material plástico reciclável e de um dispositivo que controla o cultivo agrícola sem intervenção humana, e dois projetos na área de Engenharias, que propõem a  produção de um dispositivo automático para acionar freios de caminhão e o reaproveitamento sustentável de guimbas de cigarro. Os trabalhos também concorrem em votação popular e o prêmio será entregue à iniciativa que receber o maior número de curtidas na página oficial do evento.

Saiba mais sobre os projetos do Cefet/RJ que participam da FBJC

ZUPLAST


E se o plástico fosse de fato, por mais uma ação, parte da economia circular? Seria produzido, usado e descartado, para mais uma vez ser usado e lá no final do processo se transformar em algo útil. Pensando assim, o ZuPlast desenvolveu sua pesquisa para identificar a matéria-prima plástica de descarte para a produção de uma impressora cujas peças serão impressas por ela mesma ao longo do seu desenvolvimento e produção. O autor, Zuilho Rodrigues Castro Segundo é estudante do 4o ano do Curso Técnico em Eletrônica do campus Maracanã e viu sua ideia nascer durante um dos mutirões de limpeza das praias, do Menos plástico é Mais e está sob orientação da professora Valéria Pereira.

Para votar neste projeto, curta por meio do link: https://fbjc.com.br/mostraDetalhes.php?projeto=493

FARMER



No setor agrícola, a demanda por aumento na produtividade resultou em problemas como escassez e desperdício de recursos naturais. Como solução, surgiram tecnologias de controle e monitoramento destes recursos com o objetivo de tornar seus consumos sustentáveis. Após uma busca na literatura, foi constatado que estas tecnologias ainda não oferecem autonomia no nível de hardware, o que pode atrasar tomadas de decisão sobre o cultivo. Pensando em uma solução autônoma, foi criado um sistema de gerenciamento composto de dispositivos com atuadores, sensores e um sistema multiagente embarcado que realiza o controle de um cultivo sem intervenção humana. Além disso, este sistema permite conectar os dispositivos em um rede IoT, e com isso, os dados do cultivo recolhidos pelos sensores são disponibilizados em tempo real através de uma página web para o usuário. Como avaliação, foram comparados dois vasos de plantas de mesma espécie, um gerenciado pelo sistema e outro por um humano. Após duas semanas, o vaso gerenciado pelo humano havia secado pois a rotina corrida de trabalho impossibilitou que o indivíduo regasse a planta ou impedisse uma exposição prolongada ao sol. Já o vaso gerenciado pelo dispositivo se manteve úmido evitando que a planta murchasse. O sistema se provou funcional através dos experimentos conduzidos, executando todas as suas propostas. Pretende-se com este trabalho fazer contribuições para a área de agentes e IoT, expandindo as possibilidades de aplicação. Esse projeto é desenvolvido no campus Maria da Graça pela Maria Alice Trinta, do Curso Técnico em Automação Industrial sob a orientação do professor Carlos Eduardo Pantoja e de Fabian Brandão.

Para votar neste projeto, curta por meio do link: https://fbjc.com.br/mostraDetalhes.php?projeto=284

BRACI


Imagine-se num mundo onde as bitucas de cigarro tivessem outro fim que não fosse o ocupado atualmente. Foi assim que nasceu a ideia do projeto BRACI! Transformar o que hoje é um problema ambiental em algo novo, como uma fibra a base de acetato de celulose, presente nessas bitucas, unidas a outros materiais e que poderiam, por exemplo, substituir as fibras de vidro. Esse projeto é desenvolvido no campus Maracanã pelas alunas Ana Beatriz Esteves Conceição e Anna Carolina Silva Aragão, dos Cursos Técnicos em Estradas e Edificações, respectivamente sob a orientação da professora Valéria Pereira.

Para votar neste projeto, curta por meio do link: https://fbjc.com.br/mostraDetalhes.php?projeto=58

FREIO DE CAMINHÃO


Devido à grandes distâncias percorridas e a grande competitividade de chegada ao destino, muitas vezes exaustos, os motoristas de caminhão tendem à imprudência. Soma-se a isso o excesso e a distribuição incorreta da carga, além de ultrapassagens perigosas, que muitas vezes culminam no acionamento tardio dos freios, o que pode causar acidentes graves com inúmeras mortes. Motivados por esse cenário e no que poderia ser feito para prevenção, surgiu o dispositivo de acionamento automático dos freios de caminhão. Esse projeto conta com os estudantes Gabriel Lemos Campanelli, Luidgi de Jesus da Silva Colimerio e Pedro Paulo da Silva Salles, todos do Curso Técnico em Mecânica do campus Maracanã e estão sob a orientação do professor Marco Braga.

Para votar neste projeto, curta por meio do link: https://fbjc.com.br/mostraDetalhes.php?projeto=356

registrado em:
Fim do conteúdo da página