Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Espaço do campus > EVENTO: Seminário de Desastes – Memória que previne
Início do conteúdo da página

EVENTO: Seminário de Desastes – Memória que previne

Publicado: Segunda, 04 de Novembro de 2019, 15h55 | Última atualização em Segunda, 04 de Novembro de 2019, 16h42 | Acessos: 514

Na próxima quinta-feira, dia 7 de novembro, o Cefet/RJ campus Petrópolis recebe um seminário voltado para a questão dos desastres no município, sua prevenção, resposta e estratégias de emergência. Com o apoio do Comitê Piabanha, o evento acontece das 14h às 21h e conta com três mesas-redondas.

 

Confira as informações do evento:

Data: 07/11/2019

Horário: das 14h às 21h

Local: Salão Nobre do campus Petrópolis

 

Saiba mais sobre o evento:

O Seminário de Desastres é uma ação extensionista planejada pelo projeto do Cefet/RJ campus Petrópolis “No Batuque das Águas do Caxambu: práticas para a Coesão Social”, coordenado por Patrícia Souza Lima, professora de história e representante do campus Petrópolis no Comitê Piabanha. 

O evento acontece em novembro por ser o mês que antecede as preparações da Prefeitura de Petrópolis para a época de chuva no município. O período das águas de verão se aproxima e substitui, no cenário de desastres da região serrana, a fase seca e dos riscos de incêndios.

O objetivo do Seminário é apresentar os atores públicos envolvidos na prevenção e na resposta de desastres e abordar também  as estratégias de emergência a partir de projetos como o Morte Zero, liderado pela equipe da procuradora de Justiça do Estado, Denise Tarin. O debate busca abordar a perspectiva da memória de profissionais e residentes que vivenciaram de perto gerações de desastres na cidade, especialmente inundações no centro e deslizamento de massa nas encostas, marcadamente após da década de 1960.

O evento conta com três mesas-redondas:

14h-16h: “Desastres presentes na memória” – exposição de duas teses de doutorado defendidas recentemente nas áreas de endemias e serviço social e relato de uma sobrevivente de desastre. Comporão a mesa: Adriana Dutra, assistente social e professora da UFF; Rafaela Facchetti, coordenadora do projeto “Urbanização e prevenção de catástrofes socioambientais na região serrana do Estado do Rio de Janeiro: estudo do caso de Petrópolis”, do Departamento de Endemias Samuel Pessoa (DENSP) – FioCruz; e Claudia Ramos, que sobreviveu a tragédia de 2011 no Vale do Cuiabá e que hoje representa Petrópolis no Movimento do Aluguel Social e Moradia de Petrópolis e Comissão das Tragédias da Região Serrana.

16h-18h: “Histórico de Estratégias de Prevenção” – roda de conversa que terá  colocações e depoimentos que representam e compõem a memória social petropolitana, na qual todos tem alguma história ou evento com desastres pelo fator água na cidade.

19h-21h: “Memória do Projeto Morte Zero” – apresentação do projeto em mesa-redonda composta por Denise Tarin, Coronel Simão e equipe.

 

 

Fim do conteúdo da página