Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Coleta seletiva
Início do conteúdo da página

Coleta seletiva

Publicado: Quinta, 18 de Junho de 2015, 18h42 | Última atualização em Terça, 07 de Julho de 2015, 15h40 | Acessos: 1956

A designação “coleta seletiva” é utilizada para o recolhimento dos materiais que são passíveis de reciclagem, previamente separados na fonte geradora. A separação na fonte evita a contaminação dos materiais reaproveitáveis, o que aumenta o valor agregado para estes e torna menor o custo da reciclagem. Dentre os materiais que podem ser recicláveis, são citados os diversos tipos de papéis, plásticos, metais e vidro (Quadro 1).

 

Quadro 1: Materiais Recicláveis (MARTINS, 2012)

 

Para dar início a um processo de coleta seletiva, é necessário avaliar, quantitativa e qualitativamente, o perfil dos resíduos sólidos a fim de estruturar melhor o processo de coleta. Quando o resíduo não é devidamente encaminhado, são gerados alguns impactos ambientais negativos, como: infiltração no solo e posterior contaminação das águas subterrâneas; emissão de poluentes para a atmosfera e o recurso constante de matérias-primas. Contudo, uma das soluções para esses problemas passa pela adoção da política dos 5 Rs (Lei nº 12.305/2010 da Política Nacional de Resíduos Sólidos).

  • Repensar hábitos e atitudes – verifique se os produtos adquiridos e/ou consumidos são realmente essenciais.
  • Recusar produtos que agridam o meio ambiente.
  • Reduzir a geração e o descarte – evite produzir resíduos desnecessários.
  • Reutilizar – seja criativo usando o produto de diferentes maneiras.
  • Reciclar – transforme em um novo produto.
registrado em:
Fim do conteúdo da página